Antes de ser oficialmente revelado na E3 desse ano, rumores cercavam o próximo ambicioso título da CD Projekt Red. Conforme noticiamos aqui no final de abril, rumores apontavam que Cyberpunk 2077 seria um RPG com perspectiva em primeira – e sim, vai ser.

Kyle Rowley, diretor de design associado da Projekt Red, contou esse e mais detalhes sobre o jogo em um bate papo com os portais GameSpot e IGN. O jogador assumirá o controle de um personagem pré-definido conhecido como “V”, e Rowley o descreve como “um mercenário em ascensão em Night City, a metrópoles mais violenta e perigosa do futuro controlado por megacorporações”.

O jogador poderá customizar a aparência, gênero, habilidades e o passado de V. Assim como em The Witcher 3, V já é uma/um personagem pré-definido e com voz, e dessa forma ajudou o estúdio a “criar relações mais interessantes”, de acordo com Kyle. “V já terá uma personalidade, mas o jogador irá moldá-la”, completa.

V terá acesso a múltiplas opções ao abordar missões e explorar o mundo, como hacking, engenharia e combate (armado e corpo-a-corpo). Haverá habilidades especiais e uma personalização profunda do personagem. O player terá acesso a veículos (que podem ser controlados em terceira pessoa) e todos os diálogos ocorrerão assim com em Witcher, com visão completa do personagem.

Os status do personagem também irão ter grande impacto no role playing – como por exemplo, usar uma determinada jaqueta pode aumentar um status específico e liberar mais opções de diálogo com alguns NPCs.

O designer salientou, em toda a entrevista, que Cyberpunk 2077 é um RPG, apesar de ser em primeira pessoa. A empresa esclareceu essa informação com bastante ênfase:

Ou seja, o enfoque não é no combate armado, e sim no role play. De qualquer forma, vamos ter que esperar para ver como isso realmente vai funcionar. O meu trem da hype não para de subir.

Via: Kotaku