A tão aguardada continuação de um dos jogos destaques de 2011, Dark Souls, finalmente chegou. Dark Souls 2 mantém o espírito do seu antecessor, onde você da as mãos à morte para que ela o guie durante a aventura. Porém, nem tudo são maravilhas e muitos fãs ficaram cheios de dúvidas.

Muitas coisas estão sendo ditas sobre Dark Souls 2, como ele não estar tão difícil quanto o primeiro, principalmente após os boatos que ocorreram meses atrás sobre um possível “easy mode”. Mas iremos abordar esse tópico nessa análise completa que mostra o motivo de Dark Souls 2 ser sim uma continuação que honra a franquia Souls.

História

Você é um ser amaldiçoado, um undead, que acaba de perder tudo o que tinha, sua mulher, seu filho, sua casa… Sua vida. Você acaba sendo levado por um vortex, chegando assim na primeira área do jogo, onde você se vê sozinho numa área escura, com pequenos cães que aparentam ter acabado de caçar, fato indicado pelas pilhas do ossos no local. No horizonte você vê luz por uma fenda na montanha e instintivamente segue até lá, chegando assim até uma casa com três velhas senhoras. Elas explicam que você é um undead, logo, um dos atingidos pela maldição e já tentam acabar com a esperança logo no início do jogo, já deixando claro que você irá virar hollow e, sem dúvida alguma, perder suas almas.

Após conversar com elas, decidir seu nome e sua classe, seu próximo destino será Majula, o lugar que será seu porto-seguro, e lá encontrar a Emerald Herald, ela explicará que você deve ir atrás do Rei Vendrick, mas não é possível chegar lá com uma alma tão fraca como a que você tem, então ela o manda pegar a alma de 4 anciões (Old Ones). Além dessas informações, outros NPCs lhe dirão informações relevantes quanto a história do game, assim como descrição de itens. Então fique atento a tudo no jogo, pois sempre haverá uma nova informação em algum lugar.

Como não quero estragar nada para ninguém, vou criar um post para discussão de Lore entre os leitores e linkarei aqui assim que ele estiver pronto. Mas por enquanto, vale a pena lembrar, assim como fiz na análise do primeiro Dark Souls: Vocês podem seguir a página do Dark Souls da Depressão no Facebook, além de seguir os canais do VaatiVidya e do EpicNameBro, sendo ele um dos contribuidores para o guia oficial do jogo, então ele tem muito a ensinar.

Gameplay

Para quem é novo na franquia Souls, o jogo é um Action-RPG de mundo aberto, onde você é solto no jogo e deve explorá-lo conforme for possível. Você pode escolher entre oito classes para iniciar sua jornada por Drangleic, entre guerreiro, mago, clérigo e depravado. Porém, assim como seu antecessor, isso não impede que seu guerreiro vire um mago no fim da sua aventura, ou que seu mago vire um guerreiro que leva duas ultra greatwords, graças a esse sistema de progressão faz com que você vá adequando seu personagem ao seu estilo de gameplay.

Uma novidade em Dark Souls 2 é que agora, caso você ache que tenha colocado alguns pontos em um atributo errado, você poderá entregar um certo item a uma certa pessoa do jogo (sem spoilers, né?) e esta deixa você realocar todos os seus pontos novamente.

Falando em atributos, Dark Souls 2 trás novidades nessa área, como Vigor, que aumenta o seu HP máximo, fazendo com que Vitality aumente apenas o peso máximo que seu personagem consegue levar. Além de Vigor, também tem a Adaptability, que diminui o tempo de recuperação entre uma animação para a outra (ex: levantar um escudo após terminar de atacar), além de dar mais frames de invencibilidade quando se esta desviando dos ataques. Outra novidade é que agora os Attunements aumentam a velocidade do cast das magias além de aumentar o número de slots para elas.

Uma novidade que não agradou tanto a maioria das pessoas, é que agora você pode ser invadido mesmo estando em forma Hollow, coisa que não acontecia no primeiro Dark Souls, onde isso só ocorria caso você estivesse na forma humana.

Em Dark Souls 2 a penalidade para a morte não é a mera perda de Souls e sua transformação em Hollow. Conforme você vai morrendo sem voltar a forma humana, mais a sua vida vai caindo, podendo chegar até a 50% do seu máximo original, como você pode observar na imagem abaixo.

Dark Souls 2 Review 1

Uma coisa que os veteranos na série irão estranhar é que agora os inimigos não dão mais respawn infinito, sumindo na maioria das vezes após serem mortos pela 15ª vez. Isso significa algumas coisas: Não haverá como farmar itens tão facilmente, assim como farmar almas. Vejo que para a maioria isso pode ser um ponto negativo para o jogo, mas eu discordo, pois caso você use um item chamado Bonfire Ascetic na Bonfire da área após derrotar o seu boss, todos os inimigos, assim como o boss, serão ressuscitados, mas serão mais desafiadores, com mais vida e tirando mais dano de você. Então caso você queira determinado item que ainda não conseguiu ou farmar almas em determinado lugar, faça por merecer.

O combate do jogo está, se não tão bom quanto o seu antecessor, melhor. Em Dark Souls 2 não é possível usar aquela estratégia de backstab em todos os inimigos ou andar pelas áreas dando parry desenfreadamente, pois agora as animações de backstab e de riposte (ataque que se faz após o parry) não dão mais invencibilidade ao jogador, ou seja, é necessário prestar atenção ao seu redor para ver se vale mesmo a pena dar um ataque crítico em seu oponente ou não, pois você estará aberto a ataques. Também porque os inimigos não são mais tão burros e não dão as costas para você com tanta frequência. Além disso, o combate parece ser o mesmo, onde é necessária a paciência para observar o seu inimigo e atacá-lo quando houver uma abertura.

E por fim vem a pergunta que muitos fazem: Dark Souls 2 esta mais difícil ou mais fácil?

Nenhum dos dois. Para os veteranos do Dark Souls, o jogo pode não ser tão difícil quanto o primeiro, mas isso se deve ao fato de você já saber o que esperar do jogo. Lógico, o game vai te surpreender diversas vezes com novas armadilhas e mecânicas, mas no geral, você já imagina que tal lugar vai ter uma armadilha e como lidar melhor com as coisas do jogo. Já para quem é novo na franquia, o jogo é sim desafiador, pois além de trazer as coisas que fizeram Dark Souls ser reconhecido como um dos jogos mais difíceis já feitos, seu sucessor conseguiu colocar ainda mais novas mecânicas, tornando-o sim, mais desafiador do que seu antecessor.

Aspectos Técnicos

Houve algumas reclamações quanto aos gráficos do jogo, sobre um downgrade entre a sua apresentação na E3, e de fato houve. A qualidade das sombras e luz em certos lugares não são tão boas, mas isso não tira a beleza do jogo. Os detalhes do seu personagem enquanto ele vira Hollow, perdendo a barba, partes do cabelo e criando cicatrizes são incríveis, por exemplo. Outro detalhe muito bom são os do sets que você usa, que se move enquanto você rola, anda ou sobe e desce de um elevador

A ambientação é fantástica, desde a área do tutorial em que você só de ver aquela luz no fundo já sabe onde tem que ir, para Majula, com o Sol dando esperança para a sua jornada, até cavernas escuras com diversas armadilhas para acabar com seu jogo. O game tem inúmeros cenários que vão desde castelos, florestas, esgotos, fortalezas e catedrais, todas extremamente bem detalhas, porém nenhuma delas conseguiu chamar tanto minha atenção quanto Heide’s Tower of Flame, uma das poucas áreas que me fizeram ficar minutos apenas observando o cenário.

Quanto ao áudio, Dark Souls 2 não tem uma trilha sonora tão presente, tendo-a em Majula e voltando apenas quando você enfrentar um boss, isso mantem um clima sombrio, onde você escuta apenas seus passos e grunhidos dos inimigos, lembrando que você nunca está realmente protegido. Porém, as músicas épicas dão um toque especial em sua batalha contra aquele boss chato que provavelmente vai enfrentar por muitas vezes até finalmente derrotá-lo.

Multiplayer

A essência do multiplayer de Dark Souls foi mantida, mas agora ele está muito melhor desenvolvido graças aos Covenants. Covenants são como clãs, onde você deve fazer determinadas coisas e caso as faça, recebe recompensas por tarefas cumpridas. No seu antecessor, os Covenants não tinham tanto peso no multiplayer do jogo, mas agora 7 dos 9 são focados no multiplayer. Você pode se juntar ao Way of Blue e caso você seja invadido, um Blue Sentinel (que também é outro Covenant) será invocado para defender você desse invasor. Também há a possibilidade de você ser invocado no mundo cheio de armadilhas, onde todos os monstros irão te atacar e seu objetivo é derrotar o mestre desse mundo. E é claro, tem o Heirs of the Sun, que permite virar um sunbro!

Como disse anteriormente, para você ser invadido por outro jogador, basta apenas estar jogando online, independente de estar hollow ou humano, porém, para participar de uma partida co-op, você precisa estar na forma humana. Além disso é necessário ter uma diferença mínima entre o nível de quem irá fazer o co-op, assim como o seu Soul Memory (dado que pode ser visto do lado do seu nível no menu “Status”). Isso acabou complicando um pouco a interação online, mas conforme a From Software anunciou, não haverá Soul Memory no New Game +.

Agora existem servidores dedicados para o multiplayer, as partidas online, tanto co-op como PvP, estão com bem menos lag do que no primeiro Dark Souls. Além disso, caso você não queira “estragar a experiência de novos jogadores” invadindo-os, é possível participar de arenas, mas para participar delas é necessário estar dentro dos Blue Sentinels ou dos Brotherhood of Blood.

Mas não é porque os servidores agora são dedicados que tudo vai ser uma maravilha 100% do tempo, pois pode acontecer com você o que aconteceu com o OnlyAfro nesse vídeo. Mas como ele mesmo disse na descrição do vídeo, PvPs assim são uma exceção.

Assim como fiz na análise do primeiro Dark Souls, vale a pena ressaltar que o Online do jogo não fica apenas dentro do seu console. A comunidade do jogo é uma das mais fortes e presentes que se vê na internet, tendo como principais destaques os já citados anteriormente EpicNameBro, VaatiVidya e a página brasileira Dark Souls da Depressão. Além disso há o fórum da Gamefaqs, wikis, reddit, entre muitas outras coisas, onde são discutidas builds, segredos e como certas mecânicas do jogo funcionam. Então caso você um dia jogue Dark Souls 2 e goste, recomendo ir atrás dessas coisinhas que acabam agregando muito ao jogo, tornando-o extremamente mais interessante.

Replay

Dark Souls 2 traz o sistema de New Game +, onde após fechá-lo, é jogado novamente desde o início, mas com inimigos mais difíceis, que tiram mais dano e tem mais vida. Porém, ao contrário de seu antecessor, há certos eventos que só acontecem nessa etapa do jogo, como conseguir determinados anéis, armaduras etc. Além disso, aparecem inimigos diferentes daqueles que você viu na sua primeira vez, então não pense que só porque fechou o jogo uma vez que o New Game + será um passeio no parque, pois não será.

Outro aspecto forte de Replay é a inúmera quantidade de builds que podem ser feitas, tornando cada novo personagem criado, uma experiência distinta da sua anterior, já que toda a sua estratégia terá que ser revisada para que você tenha sucesso na nova aventura.

Conclusão

Dark Souls 2 é uma continuação de respeito e chega como um dos melhores Action-RPGs já feitos, com uma grande profundidade, não só na sua história, mas na sua mecânica de jogo, tanto pelo seu multiplayer extremamente divertido, quanto para o seu novo New Game Plus, que torna a experiência do jogo muito mais recompensadora.

Pontos Positivos

  • Excelente sistema de combate.
  • Grande dificuldade, mas muito recompensador e justo.
  • História intrigante.
  • Experiência online única.