No final dos anos 90, Pokémon foi uma tremenda febre. Brinquedos para todos os lados, desenho animado e jogos. Os jogos foram o carro chefe dessa franquia, que atravessa gerações até hoje.

Quem teve um Nintendo 64 e gostava de Pokémon certamente se lembra do clássico Pokémon Stadium. O jogo “de luta” trazia, para época, inovações gráficas que deixavam qualquer dono de um Pokémon Red louco. Poder ver seus Pokémon lutando entre si, com gráficos poderosos, ver as animações dos golpes… Isso era o sonho dourado de um treinador Pokémon.

Hoje, 16 anos depois, podemos mergulhar no universo de Pokkén Tournament, uma espécie de sucessor espiritual do clássico do N64. O jogo, que é uma parceria da desenvolvedora de Tekken com a Pokémon Company – daí o sugestivo nome “Pokkén” -, vem para balançar o mundo competitivo de jogos de luta. E, é claro, convencer muitos fãs de Pokémon a adquirir um Nintendo Wii U.

Pokken Tournament (2)

A mesma premissa, mas com um toque a mais de agressividade

A proposta de Pokkén Tournament é simples: escolha seu personagem, domine seus combos e surre seus oponentes. Como todo bom jogo de luta, Pokkén nos entrega um single player desafiador, com personagens secretos para habilitar e um modo online deveras competitivo. A sensação de ver o seu Pokémon de fato “lutar” foi totalmente diferente – até mesmo do clássico Pokémon Stadium. Em Pokkén, nós comandamos tudo. É inovador, dentro da franquia, e deu muito certo.

Temos gráficos belíssimos, uma trilha sonora muito empolgante e o principal: o fator nostalgia, já que a maior parte dos personagens pertencem às primeiras gerações. Para mim, um jogo onde o grande desafio é passar por uma Liga Pokémon e depois ser desafiado por uma versão dark do Mewtwo é uma realização imensa! Ele é, e sempre será, o Pokémon mais badass de todos.

A jogabilidade é fluida e fácil de pegar. Não é difícil na primeira hora de jogo aprender os especiais dos seus personagens favoritos e compreender como os combos entram melhor no adversário. Outra coisa interessante são as fases de combate: durante a partida, a visão de câmera e a jogabilidade mudam entre Field Phase e Duel Phase. Na primeira, você joga com o cenário aberto, podendo circular na arena para enfrentar seu adversário. Na segunda, o combate se torna ao estilo Mortal Kombat, limitando seus movimentos a duas dimensões. A mistura de jogabilidade caiu muito bem, e de certo é um ponto positivo digno de destaque.

Pokken Tournament (3)

Dessa vez não temos que pegar

Por fim, a Nintendo nos entregou um jogo de luta completo. Apesar de apenas 16 personagens jogáveis, o jogo te dá inúmeras possibilidades: são quatro modos na Ferrum League (A liga Pokémon do jogo, que representa o single player), além do modo online extremamente desafiador. Dominar o estilo de jogo dos dezesseis personagens não é uma tarefa tão simples, principalmente se você deseja encarar os milhares de jogadores no modo competitivo online.

Se antes era necessário recorrer ao Super Smash Bros. para estar na pele de Charizard e outros Pokémon, agora temos à nossa disposição um jogo voltado apenas para isso. Sem capturas, sem uma longa jornada, diferente porém muito vívido, intenso e emocionante. Recomendo o jogo para todo fã de jogos de luta e principalmente se você tiver qualquer tipo de apego ao Pikachu e seus companheiros. Certamente você gastará horas da sua vida desbravando a liga, tentando ser tão habilidoso quanto o Mewtwo e trilhando o árduo caminho do modo online. No fim das contas, é isso. Pokkén alimentou ainda mais o desejo que arde dentro de qualquer fã da franquia: o sonho de ser um Mestre Pokémon.