Grim Fandango é um dos clássicos jogos adventures do final dos anos 90 que foi re-lançado em Janeiro de 2015. A dublagem em português do jogo foi considerada a melhor versão, depois da original.

Sempre tive a curiosidade de saber quem eram os responsáveis por esse excelente trabalho e após uma breve pesquisa cheguei até a Brasoft (empresa responsável pela regionalização de vários jogos, no Brasil, que encerrou suas atividades em 2004) e Ithamar Lembo, ator e dublador, que foi responsável por dar vida ao personagem mais carismático e caricato do jogo, o Demônio Glottis, companheiro de Manny Calavera.

2015-01-23-00006

A Entrevista

Jogazera: Gostaria que você nos contasse como foi sua experiência ao dublar um jogo em 1998. A Brasoft entrou em contato com sua equipe ou você fez algum teste?

Ithamar: Eu sou ator e, na época, já era locutor de peças publicitárias, vídeos etc. Um dia recebi um telefonema do Rogério, produtor/técnico de áudio da Brasoft, me convidando pra dublar o que, segundo ele, era o maior lançamento em CD Rom daquele tempo, um sucesso da Lucas Art’s e tudo que você deve saber mais que eu sobre o jogo. Contou mais ou menos como era o jogo e disse que tava me chamando pra fazer o Glottis, que não era o personagem principal, mas era o parceiro dele e talvez o personagem mais carismático do jogo, até porque não era uma caveira como todos os outros…risos…

Fui até lá e não tive que fazer um teste exatamente, mas tive que gravar algumas falar, inclusive um trecho da música, e minha voz foi mandada para os EUA ( como foi a de todos os dubladores ) porque tinha que ser aprovada pelo pessoal de lá. Felizmente aprovaram e o resto você já sabe… to lá fazendo a voz do personagem que, pra mim, é mesmo o mais legal e mais carismático do jogo…risos…

2015-01-31_00012

JZ: Glottis com certeza é o personagem mais carismático do jogo. Qual foi sua sensação ao dublar o personagem?

IL: Quando fui chamado pra dublar, a sensação foi normal. Como de qualquer outro trabalho. Achei interessante que era o único personagem que não era uma caveira…risos… e tinha um jeito bonachão, atrapalhado, então achei divertido. Com o tempo, vendo a história, a participação dele, que até cantava, fui ficando mais empolgado. Quando acabou e o jogo foi lançado, não imaginava que o jogo seria o sucesso que foi, mas sabia que Glottis estaria entre os personagens preferidos dos jogadores.

JZ: Você e os outros dubladores puderam sugerir adaptações aos textos? Se algum texto não soasse natural, ele poderia ser alterado?

IL: Dentro de um limite. Aí entrava o trabalho do Olavo Panseri e Rogerio Maudonnet, que produziram e dirigiram todo o trabalho. Não acompanhei a dublagem dos outros porque fizemos separados, cada um sua parte. Mas eu pude fazer algumas sugestões, inclusive na letra da música. Não porque não soasse natural, já que a tradução era muito fiel ao texto original do jogo, mas muito por causa da sincronia labial, conhecida no meio como lip sync. Quando você tem que “casar” a fala com o movimento labial do personagem. Muitas vezes as frases eram maiores que os movimentos. Outras, menores. Os movimentos foram feitos com base no inglês que é muito diferente do português, então esse problema foi recorrente e as adaptações, constantes. Mas sem muitos improvisos ou criações. Sempre dentro do contexto original. Tudo passava pelo crivo rigoroso da Lucas Arts, então não sobrava espaço pra invenções.

JZ: Grim Fandango foi um marco para os jogos dublados em português. Você chegou a fazer outros trabalhos após em jogos?

IL: Sim. Na própria Brasoft eu fiz muitas outras coisas. Já fazia antes e fiz muitas coisas depois, até ela fechar. Mas por causa de outros trabalhos, fui deixando a dublagem de lado. Principalmente porque o mercado de dublagem é muito fechado, difícil de você entrar e eu gostava mesmo era dos games, simuladores e gosto dos longas de animação. Mas é preciso correr atrás, ter os contatos certos e eu confesso que nunca fui. Mas como faço muita locução para o mercado publicitário, sempre aparece um trabalho ou outro pra fazer a voz de um personagem animado de propaganda. Atualmente to fazendo a voz de um capacete num comercial da Honda Motos…risos…

Confira um pouco do trabalho de Ithamar

JZ: A dublagem deste jogo é, na minha opinião, melhor que o audio original. Qual foi a recepção da LucasArts para as vozes do Brasil ?

IL: Sensacional! Na época soubemos que foi considerada por eles a melhor dublagem fora dos EUA. Particularmente, eu acho que é a melhor, incluindo o EUA…risos… também considero a nossa melhor que a original. E acredito que o fato de usarem a mesma dublagem na remasterização, atesta a qualidade do trabalho.

JZ: Se você pudesse dublar outro personagem que não fosse o Glottis, qual escolheria?

IL: Bem, pelo timbre de voz e o jeitão, eu gostaria de dublar Dom Copal. Pelo personagem, dublaria Many.

E para encerrar a entrevista, deixo um trecho do jogo onde Glottis canta o sucesso Âncora Enferrujada, no segundo capítulo do jogo.