Nas primeiras horas de evento via-se filas formando-se no estande PlayStation para testar grandes promessas como The Order 1886, Bloodborne e Drive Club. Poucos arriscavam-se a enfrentar uma fila pequena, mas um pouco demorada devido a pouca quantidade de estações, 2 apenas,  para testar Until Dawn.

Mas logo que os primeiros jogadores deixaram os controles na mesa e tiveram seus cartões carimbados, opiniões empolgadas começaram a tomar dimensão e em pouco tempo formou-se uma fila enorme, cheia de olhos vidrados e mãos apressadas para ter sua vez de jogar.

Until Dawn é a aposta da Sony, desenvolvido pela Supermassive Games, para o mercado de jogos de terror, mas não se trata de um terror sangrento e cheio de monstros, pelo menos nada assim apareceu na demonstração. O que ficou nítido é o suspense causado por uma criatura que com certeza não é mais deste mundo, o fantasma de uma garota, alguém que ainda não partiu em paz.

Na demonstração jovem é atormentada pelo fantasma, que parece guiá-la para desvendar a identidade do maníaco que tirou sua vida, ambas eram amigas. Na verdade eu quis dizer colegas, a personagem do jogo não parece ter sido muito legal com a garota enquanto estava viva. Há mais pessoas envolvidas, 8 amigos, mas não houve a interação deles no gameplay.

Os controles são simples, mas muito interativos graças as novidades do DualShock 4. A lanterna usada pela protagonista pode ser apontada para qualquer direção, apenas usando o acelerômetro do controle e páginas de cadernos são viradas com o uso do TouchPad.

Os gráficos são bonitos, texturas e partículas de poeira são destaques, mas ainda falta expressividade nos personagens, tanto facial quanto corporal. Isso não é uma crítica, apenas uma analise do que foi mostrado, pois com certeza são detalhes que serão polidos e entregues muito bem resolvidos na versão final do jogo.

Confira o trailer de anúncio de Until Dawm, exclusivo para PlayStation 4.