Análise – Sonic Mania

Antes de começar essa análise já vou pedindo perdão pelo título. Eu não resisti.

Agora sim. Vamos lá.

É sempre muito difícil você analisar um produto quando ele tem a capacidade de te balançar emocionalmente. Ser neutro, parcial ou seja lá como você preferir chamar, é uma tarefa complicada.

Eu costumo ser bem crítico com tudo o que consumo, gosto de ter certeza de que investi tempo e dinheiro em algo que é, no mínimo, satisfatório.

Quando Sonic Mania entrou em pré-venda no Playstation 4 eu tinha certeza de que pegaria ele antecipadamente. Não só pela ansiedade mas era um dever moral. Eu tinha uma dívida com o Daniel. O Daniel de 8 anos idade, que nunca teve a oportunidade de jogar um Sonic no lançamento. Logo ele, que tinha no ouriço azul o seu grande herói da infância.

O jogo estava sendo muito elogiado. E eu, muito empolgado, comprei na pré-venda.

Seja como for, me esforcei e aqui estou. Todo o conteúdo a seguir é imparcial. E essa análise, por mais emocional que possa soar, é de quem entendeu o que o retorno do Sonic aos velhos tempos significa.

Veloz, frenético e artístico

Quando pensamos no Sonic a primeira coisa que nos vem a cabeça é a sua velocidade. Se você cresceu no caloroso berço dos anos 90, provavelmente seu primeiro Sonic foi um do Mega Drive. E lá, no console que ele provavelmente chama de lar, vimos o azulzinho acelerar em maravilhosos loops em busca de argolas e esmeraldas. E, veja só, a velocidade está de volta. Como nos velhos tempos.

Tal como nos clássicos, a pressa e o gameplay frenético são opcionais – e funcionais, até certo ponto. Você pode ignorar caminhos secretos, caixinhas de itens e de vida extra. Pode passar batido pela fase, matar inimigos sem saber quantos pontos eles estão te dando. De repente… BOOM! Chegou o chefão. Você sua frio. Segura a ansiedade, pensa numa tática, para de correr e derrota ele tentando conter a euforia.

Isso é Sonic.

Sonic Mania trouxe o frenesi dos seus antigos títulos e mesclou com cenários extremamente belos. O fundo muda conforme você avança. Seja correndo por cachoeiras e cidades ou descendo até o subterrâneo de Green Hill, onde o background acompanha sua decida, ficando mais sombrio e escuro. Como as profundezas devem ser.

O trabalho de arte é definitivamente impecável. Muito bem definido, com pixels passando a sensação de se estar jogando num Mega Drive dos tempos modernos, Green Hill logo de cara te deixa enlouquecido. No entando, o destaque fica para as novas fases: Sem fugir dos padrões de beleza das clássicas, os estágios inéditos de Sonic Mania casam muito bem com o estilo clássico e passam um ar de renovação.

Inclusive, uma salva de palmas para a SEGA, que abraçou o trabalho que muitos fãs fizeram durante todos esses anos, selecionando artistas para trabalhar na construção do novo título. Inclusive o brasileiro Midio, que fez sua participação para deixar o visual do novo Sonic de arrepiar.

E eu nem falei da trilha sonora que é totalmente eletrizante! É, meus amigos. A SEGA voltou!

Divertido, acima de tudo

Fazia tempo que eu não colocava um jogo no meu video game e pensava: “Ok, vou me divertir“. Não que esses jogos não estejam por aí, a Nintendo é especialista no assunto, mas ao menos de um tempo para cá eu não experimentava esse sentimento de forma tão pura.

Por mais que Sonic Mania passe uma sensação inspiradora a todo o tempo, o foco da SEGA na construção desse novo título claramente foi a diversão. O jogo é desafiador, tem seus momentos de Dark Souls, para deixar qualquer jogador distraído desgraçado da cabeça. Mas tudo, definitivamente, na medida certa.

Além das novas fases e da sensação de já ter visto tudo aquilo em algum lugar – e de fato viu, muitas fases clássicas estão no jogo, algumas com um elemento ou outro a mais – o novo Sonic traz os mini games antigos de volta. Durante as fases você pode entrar nos checkpoints que te transportam para a fase bônus idêntica a de Sonic & Knuckles. Lembra de ficar tonto tentando catar todas as bolinhas azuis? Pois é, isso vai se repetir.

As esmeraldas também estão presentes. Dessa vez viajamos no tempo para o Sonic CD. Corra atrás do ~robôzinho~, colete moedas para aumentar o tempo e bolinhas azuis para aumentar a velocidade. Bingo! Esmeralda garantida.

Se você terminar o jogo com todas as esmeraldas terá uma bela surpresa – mas isso eu deixo para você descobrir sozinho.

Jogue com Sonic & Tales, apenas com Sonic, Tales ou Knuckles. O jogo tem muitas opções. O modo história é altamente rejogável, deixando o título com um replay mais do que suficiente. Fora o modo competitivo para “jogar de dois” e os desafios que você tem como opção, fora do modo single player.

O jogo que o Sonic merece

Com horas de gameplay divertidas, modos desafiadores e extremamente nostálgicos, Sonic Mania é o jogo que o clássico mascote da SEGA merecia ter há muito tempo. E, por que não, nós jogadores?

Se você é ou foi um fã do ouriço, o novo game é obrigatório em sua biblioteca de jogos. Impecável, divertido e bom como nos velhos tempos. Sonic Mania é o capítulo definitivo do ouriço no mundo dos jogos.

A SEGA acertou o tom, mesclando o clássico e o novo, num mix de sensações que somente jogando você seria capaz de entender. Sei que, quando liguei o meu PS4, abri o jogo e escutei em alto e bom tom o “SEEEEEEEEEGA”, sucedido pelo Sonic surgindo como o leão da MGM, só uma palavra ecoava na minha mente: Obrigado.

Sonic Mania
Fator nostalgiaTrilha sonora Gameplay extremamente divertidoTrabalho de arte impecável
10Valor Total
Votação do Leitor 4 Votos
9.7