Análise – Battle  Chasers Nightwar

Battle Chasers Nightwar está entre os destaques lançados via financiamento coletivo. Sua campanha no Kickstarter teve início em Setembro de 2015 e arrecadou mais de 800 mil dólares. O jogo combina uma proposta de RPG por Turnos com um sistema de exploração de masmorras e um mapa com trajetória fixa, lembrando um pouco as versões mais antigas de Heroes of Might and Magic. O jogo é baseado nos quadrinhos Battle Chaser, do autor Joe Madureira e foi publicado pela THQ Nordic.

Artístico e cheio de charme

O grande destaque para Battle Chasers Nightwar está em seus elementos visuais. O jogo apresenta os cenários e os personagens em uma visão isométrica no mapa e nas dungeons. A arte dos personagens é feita no estilo cell-shading, deixando-os mais fiéis aos visuais dos quadrinhos. Também há cutscenes no formato de animações, como a abertura abaixo.

Outro destaque está para a dublagem dos personagens, cada um possui uma voz bem característica. Os dubladores americanos também são figuras conhecidas, com destaque para a voz de Garrison, feita por Gavin Hammon. Na cidade, os NPCs também possuem voz. Isso deixa os momentos em que você precisa conversar com vários personagens para descobrir o que fazer em seguida, muito mais envolvente do que uma simples caixa de diálogo.

Gameplay

A questão de jogabilidade está dividida em dois momentos: exploração do mapa e masmorras (dungeons). O mapa não possui movimentação totalmente livre, você precisará andar por alguns caminhos pré definidos. As regiões de interesse no mapa estão em pequenos pontos em meio ao caminho traçado. Esses pontos podem representar tesouros, batalhas (não aleatórias), masmorras ou mesmo algum NPC para interação.

A exploração das dungeons é completamente diferente do mapa e esse é outro ponto de destaque para Battle Chasers Nightwar. Aqui, a movimentação é livre tanto para seus personagens quanto para os inimigos. Não existem batalhas aleatórias, todos os inimigos estão caminhando pelo mapa e irão caçá-lo assim que você entrar em seu campo de visão. Além disso, também existem armadilhas que podem causar dano e debuffs no seu time (e nos inimigos também). Você controla uma party de 3 personagens, mas apenas um deles é representado na masmorra e pode ser trocado apertando um botão. Cada membro possui duas habilidades que podem ser usadas fora das batalhas para ajudar na exploração e até mesmo conceder algumas pequenas vantagens de combate contra os inimigos.

Batalhas com uma camada adicional de estratégia

As batalhas são feitas por turnos e misturam o estilo dos RPGs clássicos, como os primeiros Final Fantasy ou Breath of Fire com jogo mais recentes como Bravely Default. Há uma fila de prioridades que pode ser alterada de acordo com cada ação utilizada. Além das tradicionais barras de HP e Mana, existe um terceiro atributo, chamado de Overcharge, que é como uma barra de mana adicional, cada ataque gera uma quantidade de Overcharge e ela pode ser consumida como Mana, para utilizar as habilidades de seu personagem, mas é zerada ao final das batalhas. Os personagens possuem uma quantidade extremamente limitada de Mana, por isso o Overcharge deve ser utilizado nas batalhas comuns, deixando o restante de mana para as situações críticas, como chefões e inimigos mais complicados.

A fila de prioridades é outro elemento crucial da estratégia do jogo, pois a maioria das habilidades requer um tempo de carga antes de ser utilizada, ou seja, você pode utilizar uma habilidade de cura, mas ser morto pelo inimigo antes que ela seja concluída, colocando em risco todo o seu time; o mesmo vale para os inimigos, você poderá acabar com eles antes mesmo que alguma habilidade seja conjurada.

Além das batalhas e explorações, há uma espécie de atividades adicionais como um sistema de crafting para desenvolver e melhorar seus equipamentos, poções e outros ítens, há quests dadas pelo taverneiro onde você deve caçar monstros pelo mapa (como mini-bosses espalhados pelo mundo). Isso enriquece muito a  experiência geral para qualquer fã de RPG tradicional. Claro, como todo RPG recente que se preze, o jogo também possui um mini game de pesca.

Conclusão

Battle Chasers Nightwar é uma ótima mistura de JRPG com os personagens clássicos dos quadrinhos de Joe Madureira. As animações e o voice acting são um dos destaques para o jogo. As mecânicas de batalha trazem inovações e adicionam uma camada adicional de estratégia. A quantidade de atividades adicionais para se fazer conseguem prolongar a experiência, sem torná-la cansativa.

Análise: Battle Chasers Nightwar é uma homenagem à HQ clássica
Animações e Voice ActingSistema de Batalhas Inovador
História pouco envolvente
8.5Valor Total
Votação do Leitor 3 Votos
9.5