Sem fazer alardes, a Valve removeu a maior parte das referências ao malfadado projeto Steam Machine que ainda existiam na plataforma Steam.

Anteriormente, a guia Hardware na loja Steam apresentava Steam Machines como uma das opções, ao lado dos controles Steam, do HTC Vive e do Steam Link.

A grande página das Steam Machines, que listava vários modelos de grandes fabricantes, desapareceu. A única menção às Steam Machines na seção de hardware da Valve fica por conta de apenas dois modelos, que provavelmente serão removidos em breve.

Não há mais a possibilidade de escolher diferentes configurações de hardware ou verificar os preços. Para as duas unidades restantes (o Scan 3XS ST e a Steam Machine da Materiel.net), é necessário seguir os links para o site dos fabricantes para saber mais.

A remoção repentina foi notada pela primeira vez pelo GamingOnLinux. Não se sabe ao certo quando exatamente elas foram removidas, mas o site acredita que isso provavelmente aconteceu em algum momento de março.

Se você havia esquecido completamente da existência das Steam Machines, não se sinta só. A Valve anunciou sua intenção de criar um dispositivo único para salas de estar em 2013, juntamente com a revelação do SteamOS.

Steam Machines são PCs projetados para ficarem sob sua TV, e o SteamOS deveria alimentar esses dispositivos. O SteamOS é o sistema operacional baseado em Linux da Valve, que foi projetado para tornar mais fácil para os desenvolvedores portarem jogos do Windows para o Linux.

O objetivo final era construir um ecossistema longe do Windows (e, consequentemente, da Microsoft). Infelizmente, uma abordagem desastrada por parte da Valve efetivamente matou o projeto tão logo ele foi anunciado.

Os inúmeros atrasos e os preços abusivos por parte dos fabricantes foram alguns dos pontos críticos, mas a falta de jogos para SteamOS foi o maior problema enfrentado pelas Steam Machines. Os usuários tiveram que pagar boas centenas de dólares por um produto vendido como sendo concorrente do Xbox One e PS4 quando, na verdade, a biblioteca não possuía muitos dos jogos para PC que já estavam disponíveis no Windows.

Eventualmente, os fabricantes começaram a oferecer Steam Machines baseadas em Windows, ou com possibilidade de boot duplo, mas já era tarde demais para uma recuperação do projeto nesse ponto.

Para piorar, o Steam Link da Valve essencialmente tornou as Steam Machines desnecessárias, já que qualquer pessoa com um PC adequado poderia simplesmente transmitir seus jogos para a TV na sala de estar. Aqueles sem PC não foram incentivados o suficiente para abandonar os ecossistemas da Xbox Live e da PlayStation Network em favor da abordagem “aberta” da Steam Machine.

Para não dizer que o projeto foi um total fracasso, o empreendimento beneficiou os jogadores de PC pelo menos de uma forma, que foi o lançamento do modo Big Picture, amigável ao uso de controles, e que muitos ainda utilizam até hoje.

Você ainda pode acessar a página das Steam Machines diretamente no Steam, mas não encontrará muitas delas listadas ou verá links que não te levarão a lugar nenhum e te redirecionarão para a página inicial do Steam.

Agora, fica a expectativa em relação aos próximos passos da Valve. Semanas atrás, o criador da empresa, Gabe Newell, já havia adiantado a existência de projetos que envolveriam a criação simultânea de hardware e software. Resta aguardar as cenas dos próximos capítulos.

___

Via VG24/7