Com o final do ano se aproximando, começa a temporada de premiações, momento em que podemos ver quais títulos mais se destacaram junto à crítica e ao público e influenciaram o cenário dos jogos digitais. 2018 foi, sem dúvidas, um ano que trouxe nomes de peso a essa disputa e, como forma de aquecimento para a cerimônia do The Game Awards, que acontece nessa quinta, dia 06, vamos revisitar alguns dos indicados a categoria de Jogo do Ano e dizer porque eles são merecedores de tal prêmio.

Para começar essa lista, trazemos um dos queridinhos dos fãs, o amigão da vizinhança, Spider-Man. O jogo, exclusivo do PS4, foi um grande sucesso e agradou muito a comunidade. Qualidades não faltam para considerar Marvel’s Spider-Man o jogo do ano, mas trazemos aqui três motivos pelos quais acreditamos que o título seja merecedor de tal prêmio.

O mundo

A primeira coisa que deixa qualquer jogador de Spider-Man boquiaberto é a qualidade da construção do mundo do jogo, uma Nova Iorque reproduzida em toda sua grandiosidade. Mais do que a fidelidade à cidade real, o que mais se destaca é o quanto o mundo de Spider-Man é vivo e dinâmico. Tudo está sempre se modificando ao seu redor, tal qual o esperado de uma grande metrópole, e parte considerável do gameplay vai se desenrolando naturalmente, conforme controlamos Peter Parker por dentro daquela selva de pedra, resolvendo crimes, visitando pontos turísticos ou simplesmente trocando high-fives com os pedestres na rua.

A narrativa

Spider-Man é hoje um dos heróis mais famosos do mundo, e uma das grandes preocupações dos fãs era relacionada à maneira em que o jogo adaptaria histórias e personagens tão icônicos. Vemos aqui um casamento praticamente perfeito entre vilões e passagens clássicas dos quadrinhos com uma série de elementos atuais, que trazem um frescor e uma nova roupagem a personagens já bem conhecidos. A história do jogo consegue ir transitando naturalmente por entre os conflitos de diferentes personagens, mostrando as motivações por trás de cada um deles, e amarrar toda a trama com a ascensão do Sexteto Sinistro e as consequências da ação do grupo. Há ainda a incrível inclusão do novato Miles Morales, que certamente agradou aos fãs mais recentes da franquia.

 

A jogabilidade

Outra preocupação antes do lançamento de Spider-Man era a respeito das mecânicas do jogo, já que os trailers haviam enfatizado os quick-time events e fizeram muitos se perguntarem até que ponto os jogadores estariam, de fato, livres dentro do mundo do jogo. Para alegria de todos, o título conseguiu traduzir de uma maneira incrível a habilidade de Peter Parker de se lançar por entre os prédios com suas teias: temos um mundo aberto que permite livre exploração, e uma série de habilidades muito bem traduzidas no personagem, sejam elas de movimentação ou de combate. Tudo é muito fluido e ainda houve espaço para se aproveitar dessas mecânicas e incluir inúmeros desafios espalhados pelo mapa, aproveitando o mundo e o personagem e oferecendo uma boa quantidade de conteúdo para além da história principal.

O veredito

Em suma, podemos dizer que Marvel’s Spider-Man conseguiu atender às inúmeras expectativas dos fãs do herói e oferecer um jogo à altura de tal personagem, que cativa, empolga e surpreende os jogadores. Esse é, sem dúvidas, um dos grandes destaques do ano, um marco tanto para a Insomniac Games quanto para a franquia Spider-Man de forma geral e que merece ganhar o título de Jogo do Ano.

Você jogou Spider-Man? Concorda com nossa avaliação? Qual título você considera o jogo de 2018? Deixe seu comentário e fique atento, porque em breve voltamos com os outros indicados!