Rockstar Games inaugurou de forma ambiciosa a atual geração de consoles, em 2008, com lançamento de GTA IV. Eis que, 5 anos depois, utilizando toda a experiência adquirida com o desenvolvimento de Red Dead Redemption e Max Payne 3, a mesma Rockstar lança Grand Theft Auto V, um jogo que explora todo o potencial dos consoles dessa geração.

GTA V é o jogo mais vendido do ano, e também da história dos videogames. Quebrou vários recordes mundiais e gerou a maior receita da indústria do entretenimento, ultrapassando o recorde de vendas de Call of Duty e desbancando a bilionária indústria do cinema. Era de se esperar, já que estamos falando do jogo mais caro já produzido. Será que ele é bom mesmo? Confira a análise completa do jogo.

História

GTA V coloca o jogador no controle de não apenas um, mas de três protagonistas: Michael, Trevor e Franklin. Os dois mais velhos, Michael e Trevor, são apresentados na primeira missão do jogo: um assalto a banco mal sucedido no Canadá, onde Michael é ferido e capturado pela polícia, e Trevor foge.

Nove anos após este episódio, estamos em Los Santos no controle de Michael, em crise da meia idade. Aparentemente, Michael fez um acordo com o FIB (ou FBI) para forjar a própria morte e viver o resto da vida longe do seu histórico de problemas com a polícia. Michael queria viver o sonho de vida americano: ter dinheiro, uma mansão em Los Angeles, uma esposa bonita e um casal de filhos. De fato ele conquistou tudo isso, mas o seu casamento está em crise, a sua filha é fútil, e seu filho é vagabundo.

gta-v-história

Depois de conhecer a vida de Michael, somos apresentados ao novato Franklin. Franklin vive com a tia na periferia de Los Santos, e faz pequenos “favores” para conseguir o seu sustento. Eis que, em um destes favores, Franklin conhece Michael, e começa uma amizade entre os dois. Franklin quer virar um grande criminoso e conseguir mais dinheiro, e Michael será o seu tutor nesse processo. Se não fosse o bastante, Michael precisa voltar a praticar crimes para pagar uma dívida que contraiu com um mafioso, e os dois planejam assaltar uma joalheria para arrecadar uma grana.

Quando o jogo começa a pegar no tranco, e você começa a gostar da história, somos obrigados a jogar com o Trevor, o mais problemático e divertido dos protagonistas. Na primeira cena do Trevor percebemos que ele é um psicopata. Ele vive na zona rural de Los Santos, em um trailer sujo e bagunçado. Ao saber do assalto à joalheria pela televisão, Trevor logo percebe que Michael está vivo e é o responsável pelo assalto. Puto da vida, Trevor vai à Los Santos atrás de Michael para pedir satisfações ao seu velho “amigo”.

Chegando em Los Santos, Trevor reencontra Michael, conhece Franklin, e os três passam realizar golpes juntos. A partir desse ponto o jogo começa a ficar bom de verdade. A Rockstar conseguiu, por mais diversas que sejam as suas personalidades, criar no jogador uma empatia com cada um dos protagonistas. GTA V amadureceu com relação aos anteriores, e o nível de imersão é quase tão grande quanto o do jogo Red Dead Redemption.

Gameplay

Em Los Santos o jogador pode desenvolver praticamente qualquer tipo de atividade, como jogar golfe, praticar tênis, fazer paraquedismo, e até investir na bolsa de valores, um dos recursos mais inteligentes adicionados na série. Ouvir as conversas das pessoas que caminham nas ruas é risada na certa. A Rockstar pensou em todos os detalhes, e transformou Los Santos numa cidade que “respira”, com infinitas possibilidades.

E por mais recursos que tenham adicionado no jogo, a possibilidade de alternar entre os três personagens principais a qualquer momento é, sem dúvida nenhuma, o maior destaque do gameplay. Quando os três personagens estão na mesma missão, é possível, por exemplo, ser atirador de elite com Franklin, pilotar o helicóptero com Trevor, e descer de rapel pela parede de um prédio com Michael, tudo as mesmo tempo. E fora das missões, as transições de personagens, principalmente quando trocamos para o Trevor, são extremamente engraçadas. A adição desse recurso deixou o gameplay frenético, mantendo o ritmo do jogo acelerado do início ao fim.

Existem missões paralelas específicas para cada um dos personagens, da quais é possível, inclusive, procurar por ovnis. Mas as missões principais, aquelas que você precisa planejar grandes golpes e jogar com os três personagens as mesmo tempo, são as mais divertidas. Uma pena existirem tão poucos golpes ao longo da história. Cada personagem possui uma habilidade especial específica: Franklin pode dirigir melhor, Trevor pode receber menos dano e causar mais dano, e Michael pode deixar tudo em câmera lenta para atirar com mais facilidade. Esta última habilidade, aliás, é muito semelhante às habilidades dos protagonistas dos jogos Red Dead Redemption e Max Payne 3. Outra inspiração de Red Dead Redemption é a tela de seleção de armas.

A movimentação dos personagens não é muito precisa, e você pode passar nervoso em alguns momentos, principalmente para controlar o personagem debaixo da água, ao coletar as peças de um submarino. Outra coisa que irrita é a mira das armas: enquanto em The Last of Us a mira é manual e extremamente precisa, em GTA V a mira é automática, e diversas vezes pode focar automaticamente na pessoa errada (este recurso pode ser desabilitado no menu de opções, mas os seus inimigos continuarão te acertando facilmente, então não é muito vantajoso desabilitar a mira automática).

Áudio e Gráficos

Os gráficos são muito bonitos e exploram ao máximo os consoles da atual geração, mas existem alguns problemas pelo fato do jogo rodar no PlayStation 3 e no Xbox 360. O primeiro deles é a queda de frame rate, que não é comum, mas acontece principalmente quando estamos navegando com um submarino. Outro problema é o carregamento tardio do cenário, que acontece quando estamos dirigindo muito rápido, e alguns prédios ou texturas demoram para renderizar na tela. Estes problemas são compensados pelos visuais incríveis e muito detalhados do cenário de GTA V.

O áudio é outro trabalho digno de elogio. Tudo é excelente, desde a trilha sonora, que conta com 17 estações de rádio dos mais variados estilos e artistas, como Snoop Dogg, Britney Spears, Muse, Rihanna e Health (responsável pela trilha sonora de Max Payne 3); até o excelente trabalho de atuação dos dubladores, com diálogos impagáveis entre Franklin e Lamar, e monólogos divertidíssimos de Trevor. O trabalho de localização para o português brasileiro também é ótimo. Todas as gírias e palavrões foram contextualizados em o nosso idioma. É possível ver até abreviações de palavras e erros de português propositais nas trocas de mensagens de texto entre os personagens.

Multiplayer

Falhas nos servidores, queda de conexões, desaparecimento de personagens, perda do progresso do jogo e outros problemas. Essas foram as primeiras impressões que o mundo teve de GTA Online. Apesar de todos os problemas, que foram compensados com o depósito de $500 mil na conta bancária de cada jogador, GTA Online é incrível. Talvez a mais ambiciosa proposta de um multiplayer vista até hoje.

Ao entrar pela primeira vez no GTA Online, você deve criar o seu personagem a partir das características físicas de seus avós maternos e paternos. Ao chegar em Los Santos, você é recebido por Lamar, um dos personagens secundários da história do jogo, que te introduz às missões de contatos do multiplayer. Além do Lamar, você faz outros contatos ao passar de nível, e cada um deles possui missões relacionadas as seu ramo de atividade.

Além das missões para contatos, existem também as missões criadas pela Rockstar, como Corridas, Quedas de Braço, Golfe, Tênis, Dardos, Mata-mata Individual ou em Equipe, Paraquedismo e Sobrevivente. Algumas dessas atividades podem ser realizadas com até 16 jogadores, e outras somente com 2.Como se não bastasse, você também pode andar livremente pelo mapa de Los Santos, comprar roupas e apartamentos, guardar os seus veículos tunados na garagem, matar e ser morto por outros jogadores sem nenhum motivo aparente.

gta-v-multiplayer

Jogadores que abandonam missões pela metade e destroem os veículos alheios recebem o título de mau perdedor, um chapéu de burro, e só podem jogar com outros maus perdedores por um tempo determinado. Um ótimo sistema de punimento.

E, justamente por ser tão grandioso, não existe no multiplayer uma atividade que seja realmente empolgante. Após jogar incríveis 150 horas de multiplayer, eu não consigo encontrar nada motivante para fazer, senão disputar corridas com amigos em busca do tão desejado nível 100. As recompensas dadas nas missões parecem desbalanceadas. Em uma corrida de 2 voltas, com aproximadamente 3 minutos de duração, é possível arrecadar até $14 mil em dinheiro do jogo. Por outro lado, existem missões complexas de 15 minutos que lhe rendem apenas $5 mil.

Felizmente a Rockstar deve disponibilizar em breve uma DLC gratuita com novas missões, carros, itens de personalização do personagem, e o tão aguardado Content Creator, que dará aos jogadores a capacidade de criar, publicar, avaliar e jogar suas próprias missões. E nada impede que, a partir do feedback dos jogadores, façam ajustes nas recompensas das missões para torná-las mais balanceadas. De qualquer forma, o multiplayer é diversão garantida, palavras de um viciado com mais de 150 horas de jogo.

Conclusão

Para complementar toda a experiência dos consoles, existe o iFruit, aplicativo para dispositivos Android e iOS, onde você pode adestrar o Chop e tunar os seus veículos à distância; e também o Social Club da Rockstar, site onde você pode consultar todas as suas estatísticas do modo carreira, do modo multiplayer, e ver as fotos tiradas por todos os jogadores através dos smartphones dos personagens.

Grand Theft Auto V é um jogo superlativo, e justifica sua demora em ser lançado, e seu custo elevado de produção. Eu poderia passar horas descrevendo cada um dos inúmeros recursos presentes no jogo, como a rede social Life Invader, os Easter Eggs escondidos no jogo… Mas estes recursos não são as coisas mais importantes, e sim a experiência única que cada pessoa terá com o jogo, que renderão histórias divertidíssimas para contar aos amigos. GTA V encerra a atual geração com chave de ouro, e sem dúvidas é o melhor jogo multiplataforma do ano.

Pontos Positivos

  • História envolvente e personagens carismáticos.
  • Mapa gigantesco para ser explorado, com diversas atividades para serem realizadas.
  • Dublagem dos personagens e localização para o português excelentes.

Pontos Negativos

  • Bugs e travamentos nos primeiros dias.
  • Quedas do frame rate e carregamento atrasado do cenário.
  • Multiplayer com recompensas desbalanceadas e missões repetitivas.

[infobox title=’Ficha Técnica’]Grand Theft Auto V
Plataformas: PlayStation 3, Xbox 360
Desenvolvimento: Rockstar
Distribuição: Take-Two Interactive
Data de Lançamento: 17/09/2013[/infobox]