Diablo III demorou cerca de quatro anos para ficar pronto, o que aumentou muito a ansiedade e expectativa dos fãs, pois os dois primeiros jogos da série marcaram toda uma geração de amantes de RPG. E finalmente, no dia 15 de maio de 2012, o jogo foi lançado oficialmente para PC, totalmente em português do Brasil. Porém, o jogo não respondeu bem às expectativas dos fãs, pois mesmo o modo single player exigia conexão constante com os servidores da Battle.net, que não funcionaram muito bem nos primeiros dias, irritando milhares de jogadores.

Eis que a Blizzard anuncia uma versão de Diablo 3 para consoles. Mas será que dará certo? A maioria dos jogadores curtiram o jogo por uns 4 meses e depois o deixaram de lado. Porque repetir a mesma decepção que foi no PC, nos consoles? Sem contar que a rede online no PC é mais robusta e bem superior às redes dos consoles. Estes foram os pensamentos e dúvidas que pairavam as mentes de muitos jogadores.

E chega o dia do lançamento. “3 de setembro de 2013 o inferno chegará aos consoles”, dizia o comercial da Blizzard. Será que o jogo repetiu o que foi no PC, ou a Blizzard conseguiu reverter a situação? Vamos conferir na análise abaixo.

História

Vinte anos se passaram desde a queda de Diablo, Mephisto e Baal. A Terra estava num período de calmaria, mas a queda de uma estrela e a aparição de seres demoníacos trazem o terror para Nova Tristam, como previu o sábio Decard Cain, através das escrituras antigas. O jogador, então, é colocado para escolher entre cinco classes diferentes de heróis: Bárbaro, Feiticeiro, Arcanista, Monge e Caçador de Demônios. Escolhido o herói, o jogador vai até Tristam investigar os acontecimentos que rodeiam a queda da estrela e encontra Leah, sobrinha de Decard Cain, que pede a ajuda do herói para resgatar o tio dela, que caiu nas profundezas da catedral quando foi atingida pela estrela cadente.

Ao chegar na catedral, o herói se depara com a causa de todo o mal que está sobre Nova Tristam. O antigo rei Leoric, que tinha servido de marionete de Diablo, voltou na sua forma fantasmagórica e começou a comandar legiões de zumbis e fantasmas para espalhar o terror. Então chegar até a estrela cadente não será fácil, pois teremos o rei esqueleto no caminho.

Mas isso é só o começo, pois dois grandes males invadiram a terra com seus exércitos de demônios, Belial – O Senhor da Mentira – e Azmodan – O Senhor do Pecado. Ambos estarão no caminho do nosso herói, que começará uma jornada para libertar a Terra das forças do inferno ardente.

Gameplay

É aqui que o jogo se destaca, a carta na manga da Blizzard veio numa quase reformulação da jogabilidade de Diablo III. É claro que deveríamos ter uma mudança para os comandos se ajustarem ao uso do joystick, mas a mudança que vimos na versão de consoles, não fez apenas uma mera adaptação para o controle, tivemos vários fatores que contribuíram para uma jogabilidade mais rápida e intuitiva, que deixaram o fator Hack’n Slash do jogo mais forte.

Pra começar, o movimento do personagem pelo analógico do controle fica mais preciso do que usar um mouse. Colocar cada Skill em um botão diferente também ajuda na hora de usar um poder no momento exato, afinal, todas as Skills ficam de fácil acesso no controle.

Mas o principal foi a inclusão da esquiva, que no PC apenas o Caçador de Demônios poderia usar, pois é uma de suas habilidades, nos consoles, todas as classes usam esquiva. O que deixou as lutas mais rápidas, pois você vê o movimento do inimigo, consegue prever o momento do ataque e dependendo de sua habilidade, consegue dar a esquiva e evitar um dano. Mas é claro que com a esquiva rolando solta, o jogo teve um leve ajuste na sua dificuldade, ou seja, nos consoles o jogo ficou mais difícil.

Outra importante mudança foi a retirada da casa de leilões, que traz dois ótimos benefícios. Pra começar, com a ausência casa de leilões, o jogo terá um sistema de recompensas melhor, ou seja, itens melhores irão dropar com mais freqüência do que no PC. Além disso os itens que aparecem são em 80% dos casos da classe do herói que o jogador está usando, bem diferente do PC, em que jogando de Monge, vem item de Bárbaro, Arcanista e de qualquer outra classe, menos de Monge.

Esse melhor sistema de recompensa não facilita, mas coloca o jogador mais bem preparado para inimigos mais fortes e deixa a evolução do personagem melhor, evitando que um herói tenha nível alto e equipamentos de baixo nível.

O jogo continua lindo nos consoles

Todos sabemos que os gráficos no PC são superiores, mas nos consoles, Diablo III continua enchendo os olhos, principalmente dos que não jogaram no PC. Os cenários estão lindos e a física do jogo também está ótima, onde é muito gratificante ver seu personagem desferindo um golpe incrivelmente forte no inimigo, lançado-o para longe.

Mas para compensar os gráficos inferiores nos consoles, o jogo recebeu mais efeitos nos golpes e nos elementos que aparecem no jogo, principalmente os raios e as luzes, que deixam o combate mais bonito de se ver.

Multiplayer

A versão de consoles de Diablo III teve o fator multiplayer muito melhorado, se no PC o jogador fica dependente dos servidores do Battle.net, nos consoles o jogador é o host quando convida os amigos para jogar, essa foi a única diferença do Coop online, comparado com o PC.

O PvP nos consoles traz 3 modos em que o jogador pode se juntar a outros jogadores apenas para matar monstros. Um modo em que os jogadores lutam entre si, ou formando times. E também o modo KeyWarden, que apenas é liberado na dificuldade “inferno”, que os jogadores enfrentam chefes únicos que podem dropar chaves e planos para liberar a “Infernal Machine” e obter o “Hellfire Ring”.

Mas a melhor adição ao jogo foi o Coop local. Suportando até 4 jogadores no mesmo console, com os jogadores podendo tanto criar personagens, quanto usar outros personagens criados na conta do dono do console.

diablo-iii-1370999544589_1280x720

Uma coisa bem legal também é o fato de poder mesclar o Coop local com o online, podendo dois ou três jogadores num mesmo console, jogarem online com outros jogadores em outro aparelho, isso é claro, formando no máximo, um time com 4 personagens.

Conclusão

Diablo III nos PCs é um ótimo jogo, apesar dos problemas que teve nos dias iniciais de lançamento, o jogo ainda carrega uma legião de fãs. Porém a versão de consoles trouxe adições significativas para o jogo, principalmente pelo fato de ter um Coop local que funciona muito bem, além de contar com uma jogabilidade mais rápida e intuitiva pelo uso do joystick. Os gráficos, apesar de serem um pouco inferiores, não afetam em nada a experiência que temos com o jogo. O único problema foi que a versão de PC ficou com cara de Beta se comparada a versão para consoles, que de tão completa que veio, podemos afirmar que Diablo 3 para consoles é a versão definitiva do jogo.

[infobox title=’Ficha Técnica’]Diablo III
Plataforma: PlayStation 3, Xbox 360
Desenvolvimento: Blizzard
Distribuição: Blizzard
Data de Lançamento: 03/09/2013[/infobox]