Dark Souls, o sucessor espiritual do exclusivo de PlayStation 3, Demon’s Souls, foi lançado há um tempo atrás, em 2011, para PlayStation 3 e Xbox 360 e só um ano depois, em 2012, para PC. Desenvolvido pela From Software, é considerado como um dos jogos mais difíceis dessa geração de consoles e graças a isso acabou espantando muitos possíveis jogadores. Além disso, foi considerado por muitos como um jogo mal feito, que não explica as coisas e sem história, mas todos esses assuntos serão discutidos nessa análise completa de um dos maiores RPGs já feitos.

História

A história de Dark Souls é sombria e possível ter várias interpretações, mas vamos começar do começo: Havia o tempo onde apenas dragões existiam, os Everlasting Dragons, que eram imortais graças as suas escamas, era um tempo frio e escuro, porém, com o surgimento do fogo apareceram quatro almas, que são chamadas de Lord Souls, onde cada uma delas foi pega respectivamente por Nito, The Witch of Izalith, Gwyn, The Lord of Sunlight e a última alma, a Dark Soul, foi pega por Pigmy, o furtivo. Os três principais, Nito, Gwyn e The Witch of Izalith lutaram contra os dragões e os venceram, mas para isso contaram com a traição de um dos dragões para ajuda-los, e esse dragão é Seath, The Scaless. E assim começa a Age of Fire.

Dark Souls Review 1

No começo da Age of Fire, tudo estava bem, até que o fogo começou a desaparecer e o poder das Lord Souls diminuíram proporcionalmente, e nisso começou o surgimento de vários tipos diferentes de demônios. E Gwyn, reparando isso, dividiu sua alma para dois dos seus fiéis seguidores, os Four Kings (um fragmento para os quatro reis) de New Londo e Seath, The Scaless, para que ele mesmo começasse a servir de combustível para que a chama continuasse acesa. Mas nada disso adiantou.

Nessa confusão toda, você, o Chosen Undead, aparece, e seu dever é apenas tocar dois sinos, um em cima e outro embaixo, porém, conforme o jogo se passa, você vai descobrindo que seu objetivo vai muito além disso… Mas além disso há muita história dando cobertura e embasando outras coisas do jogo, porém o jogo não te da essas informações de mão beijada. Para descobri-las você deve ler a descrição dos itens, falar com os NPCs do jogo e, principalmente, explorar.

Isso é apenas um resumo de toda a história e eu recomendo imensamente que caso você queira saber mais sobre a história do jogo, dê uma conferida no canal do EpicNameBro e do VaatiVydia.

Gameplay

O jogo é um RPG de Ação e que ensina aos jogadores como evoluir através da sua morte, pois a morte em Dark Souls não é sua inimiga, ela é uma presença constante e você começa a encara-la de uma forma diferente, pois com ela, você aprende ver seus erros e a cada nova tela de “You Died” querer superar-se. Óbvio que não é sempre assim e você sempre irá dar um “rage quit” por alguns dias ou semanas, mas quando você superar aquele Boss (sim, estou falando de vocês Four Kings e Orstein & Smough) irá ter a sensação de dever cumprido.

Dark Souls tem várias classes, porém no final das contas nada acaba realmente fazendo uma grande diferença, já que você pode muito bem começar o jogo como um Sorcerer e terminar o jogo como um Tank sem usar mais nenhuma magia, ou como Knight e decidir não abusar da Strenght e sim da Dexterity, criando um foco totalmente diferente do que o Knight era no inicio.

Os comandos do jogo respondem muito bem, nele você pode bater, defender, rolar, atirar flechas com seu arco ou crossbow, usar pyromancies, magias, milagres, dar parry e completa-lo com um riposte e também dar backstabs. Várias armas tem movimentos diferentes, ou seja, não é por que você pegou uma espada que ela terá o mesmo tipo de movimentação de ataque que outra espada. Porém, isso tudo que você pode fazer, seus inimigos também podem, então muito cuidado em dar suas costas para eles ou ataca-los em certos momentos para que eles não deem um parry e contra-ataquem.

O jogo tem o sistema de Bonfire, que é como Checkpoints. Quando você chega em um bonfire, recupera sua vida e seus Estus Flasks (o item que você ganha para recuperar vida, sempre que você descansar em um bonfire, recuperará certa quantidade deles.) Além disso, o Bonfire é o lugar que se usará para passar de nível, para isso, você gasta Souls. Souls são o dinheiro do jogo, onde a cada inimigo que você mata você ganha mais souls, podendo comprar armas ou itens de mercadores, ou passar de nível no Bonfire. No Bonfire também é possível equipar suas magias e virar humano.

Quando humano, o gameplay de Dark Souls acaba se alterando com a possibilidade de certas interações online, como o co-op e o PVP. Para se tornar humano é necessário ter uma humanidade e selecionar no bonfire a opção de se tornar humano, uma vez humano, você poderá tocar em summon signs, que são marcas que outros jogadores deixam no chão para que você invoque-os para o seu mundo e eles o ajudam a matar o boss da área. Porém, assim como você pode chamar jogadores para o seu mundo, outros jogadores podem invadi-lo para tentar mata-lo.

Mas uma vez que você morre em forma humana, você volta a ser hollow, até que faça o procedimento de usar a humanidade e ir na Bonfire novamente. Falando em morte, quando se morre, seu corpo fica no local da sua morte, e com ele ficam suas almas e humanidades usadas. Caso você consiga chegar ao seu corpo, é só recuperar as suas tão suadas almas e humanidades, porém, caso você morra novamente, seu corpo será substituído pelo novo corpo e suas almas estarão perdidas para sempre.

Aspectos Técnicos

O jogo tem excelentes cenários que são extremamente detalhados. É raro alguém não se surpreender quando chega pela primeira vez na segunda parte de New Londo Ruins, com todo o chão, paredes e restos de corpos do cenário úmidos, ou Ash Lake, com sua linda vista submersa. Além desses detalhes, o jogo trás grande variedade de cenários, desde ambientes a céu aberto, catedrais, fortalezas, uma cidade banhada pela luz do Sol, e vão para catacumbas escuras, ruínas vulcânicas que mais parecem o inferno e pântanos que pelo simples andar deixam seu personagem envenenado. Mas o gráfico, em geral, não é algo que surpreende.

Além de todo esse cuidado com os cenários, o jogo contém uma das melhores trilhas sonoras que eu já tive o prazer de ouvir em um jogo, com uma pegada mais para músicas clássica e ópera, dando um tom épico para todos os seus encontros com chefes em Dark Souls.

Online

O online de Dark Souls, que chegou até a inspirar o PlayStation 4, é inovador. Nele jogadores podem deixar mensagens para que outros jogadores leiam, sendo que essas mensagens podem ser de fato verdadeiras, ou como muitas vezes, falsas (como dizer que uma parede normal é uma parede falsa apenas para que os outros batam nela). Mas não é só isso, como comentei anteriormente, tem o coop e o PVP e isso é uma grande parte da experiência de Dark Souls.

Quando se esta em forma humana você pode, além de invocar NPCs, como o nosso querido Solaire (ou para os mais íntimos, Sunbro) também podemos invocar outros jogadores, o que torna a sua experiência em Dark Souls muito mais fácil e descomplicada em certos casos, como em chefes que você já esteja desistindo de enfrentar por morrer tantas vezes.

Mas estar em forma humana não é só vantagem, pois outros jogadores podem invadir seu mundo para tentar mata-lo. Para isso basta usar certos itens como alguns que são dados por Covenants (que funciona como uma espécie de clã, onde cada um da algum benefício) e você consegue invadir o mundo de outros jogadores para tentar levar suas almas e sua humanidade.

Porém, para isso você tem que contar com uma boa internet pois o lag no online de Dark Souls pode ser irritante as vezes, porém com a mudança de servidores que a From Software fez para Dark Souls II, esse problema parece que irá acabar.

E não posso esquecer de comentar da comunidade online de Dark Souls na Internet, onde todos compartilham suas experiencias, builds e outras informações. Um exemplo disso é o já citado anteriormente, canal do Epic Name Bro, que sempre posta atualizações sobre o jogo, assim como teorias e informações sobre a história do jogo. No Facebook há a página Dark Souls da Depressão, que também posta algumas teorias e discute diversos assuntos.

Replay

Quando se fecha Dark Souls, você é imediatamente jogado para o começo do jogo, com todos os itens que você tinha anteriormente. Isso é chamado de New Game +. Mas no Dark Souls, no NG+, os inimigos ficam mais fortes, assim como começam a dar mais almas, ou seja, a cada nova conclusão de Dark Souls, os seus inimigos ficarão cada vez mais fortes, tornando o jogo proporcionalmente mais desafiador.

Sem contar que o jogo também tem o DLC, Artorias of the Abyss que amplia a sua experiência em pelo menos umas 3 horas, além de trazer mais detalhes para certas coisas da história principal, como a história de Artorias. A DLC também trás novos sets, novas magias, pyromancies e armas, além de ter 4 novos chefes, então caso você esteja pensando se vale a pena ou não a obtenção dessa expansão, não tenha medo pois vale cada centavo.

Conclusão

Dark Souls é, sem dúvida, um dos melhores RPGs da geração. Com uma grande e fantástica história a ser explorada, por ser extremamente recompensador em seus combates e ter uma ambientação como poucos jogos, Dark Souls é um dos destaques para os amantes de um bom e velho Action RPG e merece destaque na lista de compra de todos que ainda não jogaram.

Pontos Positivos

  • Combate excelente.
  • Trilha sonora envolvente.
  • Grande dificuldade, mas extremamente recompensador.
  • História fantástica.
  • Experiência online única.

Pontos Negativos

  • Online pode ser complicado pelo Lag.

[infobox title=’Ficha Técnica’]Dark Souls
Plataformas: PlayStation 3, Xbox 360, PC
Desenvolvimento: From Software
Distribuição: Namco bandai
Data de Lançamento: 04/10/2011 (Ps3 e Xbox 360) e 24/08/2012 (PC)[/infobox]