Aproveitando que o jogo ganhará suas versões para consoles e uma garibada na versão para PC, defino aqui a minha missão: mostrar a você, caríssimo leitor, por que Binding of Isaac é uma obrigação para os fãs da cultura indie!

Lançado em Setembro de 2011, Binding of Isaac é um jogo produzido independentemente por Edmund McMillen e Florian Himsl, sendo Edmund conhecido por outras grandes produções do cenário independente, como Super Meat Boy, Time Fcuk e Spewer.

Possuidor de uma arte característica, Binding of Isaac é polêmico e ao mesmo tempo desafiador. Com referências fortemente ligadas ao cristianismo, Binding of Isaac é uma sátira de certo modo ofensiva aos costumes cristãos que apresenta uma jogabilidade que, apesar de simplista, é deveras marcante e bem trabalhada.

A carreira de Edmund se iniciou nos jogos em flash, feitos para navegadores, e hoje se estende por toda cultura de jogos indie. Edmund e Florian marcaram a história dos jogos independentes mostrando ao público que, apesar de simples, um jogo pode desafiar o jogador com uma dinâmica já conhecida.

Com planos recentes de exportar Binding of Isaac para Playstation 4, PS Vita e possíveis versões para a Microsoft e Nintendo, além da remontagem completa do jogo para Steam, nada mais justo do que apresentar um dos jogos mais obrigatórios para os fãs de jogos independentes.

Confira o trailer do futuro lançamento, Binding of Isaac: Rebirth e se ambiente para uma review completíssima do que está disponível até o momento, sobre o jogo:

Agora que estamos prontos e ambientados, leia abaixo a review completa de Binding of Isaac.

O porão te aguarda

Tudo se inicia com a história de Isaac, um pequeno garotinho que vive com sua mãe, uma cristã fanática que passa os dias assistindo programas no estilo padre Quevedo exorcizando o pessoal na madrugada. Isaac passava seus dias brincando, até que sua mãe começa a ouvir vozes.

Binding of IsaacApresentada como a voz de Deus, a mãe de Isaac recebe a missão de purificar seu filho que, segundo Deus, está corrompido pelo pecado. Depois de tomar seus brinquedos, suas roupas e até mesmo sua liberdade, a mãe de Isaac é guiada para sacrificar seu filho como um último gesto de devoção ao seu Senhor. Isaac então decide se refugiar no porão de sua casa e é aí que toda a história tem início. Com vários andares no porão, cabe ao jogador acompanhar quão fundo Isaac pode chegar.

Não há muita explicação sobre o que são as criaturas que habitam o porão, mas o jogador pode inferir diversas teorias, o que dá um certo clima de liberdade criativa ao jogo. Nas diversas paredes do porão, Isaac atravessará os mais aleatórios ambientes e enfrentará os inimigos mais perturbadores.

Binding of Isaac é um jogo feito para ser finalizado várias e várias vezes, pois a cada conclusão do jogo novos finais são habilitados junto de novos itens, e outros modos de jogo. O que começa como um jogo casual e de diversão rápida acaba se tornando um ótimo preenchimento de tempo, acumulando horas de jogo sem que o jogador perceba, onde é fácil se encontrar entretido com a jogabilidade.

Lágrimas, moedas, bombas, chave… E pactos com o tinhoso.

Para escapar da morte, Isaac deve explorar seu porão. Durante essa aventura, o protagonista contará com o auxílio de bombas, uso de chaves para abrir baús e portas, moedas para comprar itens de recuperação ou auxilio durante os estágios e muito mais.

Com um sistema de geração de mapas aleatórios, Binding of Isaac permitirá que cada sessão de jogo seja uma experiência nova, com itens e mapas diferentes, criaturas distribuídas de forma aleatória e a presença de salas secretas.

Indo muito além do esperado, Binding of Isaac dá muita liberdade, ao mesmo tempo que coloca peso nas decisões feitas pelo jogador. Qual item manter? Qual porta entrar? Utilizar a chave pra abrir o baú ou guardar para abrir alguma sala trancada? Cabe ao jogador decidir com cuidado (ou nenhum cuidado, dependendo do estilo de jogo) o que fazer no momento.

Binding of Isaac conta com a presença de lojas, arcades (salas de jogos), pedintes que dão recompensas em troca de dinheiro ou corações, salas de tesouros, salas de armadilhas, e – nada mais, nada menos que – salas de pactos com o tinhoso, o tranca-ruas, famoso sete-peles. Durante o pacto com o diabo, o jogador deve dar parte de seus corações em troca de itens poderosos.

Alguns anjos também estão ao lado de Isaac, e em momentos, é possível adquirir itens vindos diretamente do paraíso, sem custo algum, e que em geral, trazem grandes benefícios à jornada de Isaac.

A expansão do jogo, Wrath of the Lamb, adiciona ainda mais conteúdo ao jogo com a presença de itens denominados Trinkets. Estes itens darão bônus que auxiliam o jogador, e que podem ser carregados em um espaço diferente dos itens normais.

Os trinkets podem ser desde um simples palito de fósforo, ou até mesmo câncer, com efeitos diversos sob o jogador, como aumento de velocidade, aumento de dano das lágrimas ou chances de arremessar lágrimas com efeitos venenosos.

Estes são apenas alguns dos (perturbadores) inimigos presentes no jogo!

Estes são apenas alguns dos (perturbadores) inimigos presentes no jogo!

Indie game que dá show de áudio

A trilha sonora de Binding of Isaac se encaixa tão bem na temática do jogo que, quando jogado sem som, sente-se como se houvesse uma peça faltante no quebra-cabeças. Com um toque macabro, a música deixa os ambiente ainda mais interessantes de se explorar, com toques de teclado, que mesclam bem aos efeitos sonoros do jogo.

A dublagem dos personagens e dos vídeos ficou ótima. O narrador possui uma voz muito clara, de forma que a história pareça realmente como um conto, levemente sombrio, mas de temática bem humorada.

Os oponentes ganharam sons ótimos e, diga-se de passagem, a dublagem da mãe de Isaac ficou excepcional. Todo o trabalho de encaixar a voz perfeitamente aos personagens, os efeitos sonoros corretos durante os ataques e que harmoniosamente trabalham com a música de fundo deixam o jogo espetacular. Enfim, a trilha sonora, apesar de se tratar de um jogo independente, dá um show em muitas trilhas que se pode encontrar em outros jogos.

Ouça o tema principal do jogo abaixo:

Conclusão

Ao ver os vídeos e imagens disponíveis do jogo pela internet, é surpreendente o quanto o jogo é capaz de cativar quando se o tem em mãos.

Usando um ponto de vista pessoal ao analisar Binding of Isaac, senti um leve medo ao efetuar a compra do jogo. Para mim, isso foi uma porta de entrada ao universo dos jogos independentes, ao passo que o jogo coloca o jogador em um ambiente de desafio e surpresas, com uma grande variedade de itens, um áudio bem trabalhado, arte totalmente criativa e uma história que instiga a curiosidade dos jogadores.

O resultado final dessa obra independente vai, sem sombra de dúvidas, para a lista de jogos obrigatórios dessa geração. Apesar do tema ofensivo, o jogo se mostra bem estruturado, com embasamento e referências em cada pixel da tela. Desde o item mais simples até o personagem mais difícil de se habilitar, tudo tem um princípio e uma referência externa.

Binding of Isaac lhe conquistará pelos pequenos detalhes, enquanto mantém sua atenção presa à dificuldade crescente do jogo, estimulando o jogador a finalizá-lo múltiplas vezes. É uma experiência de surpresa e ouso dizer que essa é definitivamente uma das obras mais importantes para o cenário independente dessa geração.

Definitivamente, Isaac vai pro céu.

Isaac merece ir pro paraíso.

Isaac merece ir pro paraíso.