Entre os dias 26 e 29 de janeiro, aconteceu o Closed Beta de For Honor, nova franquia da Ubisoft de combate tático medieval. Ano passado, tive a grata surpresa de testar o jogo rapidamente durante a Brasil Game Show. Dessa vez, com a Beta, a experiência foi muito mais duradoura — e ainda mais gratificante.

A versão Beta de For Honor trouxe três modalidades de jogo: Duelo (1×1), Briga (2×2) e Dominação (4×4); e todas poderiam ser jogadores contra outros jogadores ou contra a máquina. Em Duelo e Briga, vencem os jogadores com mais vitórias em 5 rounds. Já em Dominação, vence o time que dominar as três bandeiras (para a partida entrar no modo “sem renascimento”) e eliminar o time inimigo.

Para entrar na batalha, o jogador tem 3 classes de personagens à sua disposição: Cavaleiros, Vikings e Samurais. Cada classe possui três sub-classes, cada uma com seus próprios atributos, reportório de combos, habilidades e equipamentos. E é no combate que For Honor mostra o seu potencial.

O combate de For Honor é tático, exigindo habilidade e muito sangue frio dos jogadores. Você deve saber não somente o repertório do seu personagem, como também o repertório do personagem inimigo, para prever os seus movimentos, executar os comandos no momento exato e causar o maior dano possível. E, enquanto o combate acontece, você deve ficar atento à sua barra de vigor, às ameaças externas e ao objetivo da partida (no modo Dominação).

Caso você insista na estratégia de apertar botões sem pensar, morrerá muito e ficará frustrado.

Se não fosse o bastante, ainda há centenas de equipamentos disponíveis, únicos para cada sub-classe, que podem ser adquiridos ou ganhados como recompensa das partidas. Estes equipamentos — que vão desde capacetes até bainhas de espada — possuem atributos que aumentam a defesa, o ataque, a velocidade de recuperação do vigor, etc., e influenciam no gameplay.

Além disso, o visual do seu guerreiro (ou guerreira) é personalizável. É possível alterar o sexo, cor de pele, cores dos equipamentos, entre outros.

Embora seja possível jogar For Honor sozinho — já que os outros personagens são substituídos pela IA –, o jogo pedirá conexão contante à internet. E, convenhamos, jogar em time é bem melhor, principalmente no modo Dominação, que exige tática em grupo. Algumas coisas, todavia, preocupam. Por se tratar de uma nova franquia, será que a comunidade ficará engajada? Qual será o tempo de vida de um jogo que é, praticamente, estritamente multiplayer?

For Honor é diferente de muitos jogos que estão por aí. O visual é estonteante, a jogabilidade é tecnicamente apurada e os personagens possuem movimentação fluída. Tudo o que um jogo desse gênero exige. Só resta saber se a comunidade será engajada, pois — apesar de ter um modo História — o foco será o multiplayer e a participação de outros jogadores será fundamental para o sucesso do jogo.

Comentários

  • Jogão!

  • o x1 dele é legal.
    porem o 4×4 a mecânica não é boa

  • achei o jogo promissor, porem incompleto, algumas mecânicas bem travadas, ainda tem poucos mapas e heróis, sinto q virão inúmeras DLCs em breve rsrsrs, mas a ideia do jogo é muito boa

  • Cara, o jogo é legal demais com um visual espetacular. Pena que só consegui jogar na sexta. Mas vejo um possibilidade imensa dele cansar e morrer em poucos meses. Como o Carlos disso ali, com certeza virão 300mil DLCs, o que pode fazer a comunidade engajar ou mesmo abandonar o game.

    Só que nos fim, eu fico pensado e um game como esse só poderia vingar no online mesmo, jogando em grupos. Um Single player pode enjoar fácil fácil.

    Mas ai penso de novo, e me lembro de outro que tinha uma premissa parecida (parecida!) e que não se deu muito bem: The Division…

  • Gostei muito do jogo, mas eu sinto que vai ficar repetitivo em pouco tempo. A ubisoft tem que correr pra colocar mais dinâmica no jogo.

  • engrey

    Joguei o Beta e curti bastante o jogo, ele é divertido, muito bem produzido e exige bastante do jogador, o que eu acho excelente.
    Porém o beta acabou e eu nem senti falta do jogo, sabe? Diferente o que acontece com betas de outros jogos do qual termina o período e eu sinto falta de jogar e na ansiedade de sair logo o jogo completo.
    ——-
    Creio que o jogo não irá vingar, eu mesmo sou um dos que não irão pagar 160 reais em um jogo que não me fez jogar tanto, então provavelmente em questão de meses surgirão promoções, ou até mesmo mudar para um “free to play”, digo isso pela experiência no PC, nos consoles eu já não faço ideia.