A série Monster Hunter é conhecida por sua curva de aprendizado mais ingrime que aquelas paredes de escalada com ângulos negativos, o que sempre foi uma dificuldade para atrair novos entrantes para a série. Com o tempo limitado das nossas vidas e a quantidade de bons jogos sendo lançados a todo tempo (faz tempo que não temos um mês sem algo grande ou surpreendente, por sinal) é complicado justificar um jogo que você precisa assistir uma ou duas horas de vídeos explicativos das mecânicas básicas do jogo em geral.

Monster Hunter World é a experiência definitiva da série e para mim, o melhor jogo do ano de 2018. Foram mais de 150 horas em 2 meses intensos de caçadas, missões de coleta com amigos ou mesmo desconhecidos. A experiência de derrotar um monstro com várias pessoas depois de muitas tentativas me lembrou os bons tempos de World of Warcraft.

A mais baixa barreira de entrada da série

Monster Hunter World é um destaque para a série não só pelo seu visual, mas pela sua simplicidade e usabilidade. O jogo possui uma barreira de entrada muito menor que os outros jogos, facilitando e muito a experiência para novos jogadores. Apesar disso, há diversas outras mecânicas a serem exploradas, tornando-se assim, uma jogo completo também para os veteranos da série.

São 14 armas onde e cada uma possui uma combinação de movimentos e estilo de jogo únicos, por exemplo: a Glaive Inseto ou a Espada Longa proporcionam um estilo de combate para aqueles que preferem velocidade e dano, já a Lança e a Lançarma são recomendados para aqueles que preferem formar uma barreira impenetrável de dano e encarar os monstros de frente. Apesar de algumas armas parecerem mais complicadas no começo, o segredo é experimentar sempre. Há uma seção de treino onde você poderá testar cada arma e entender melhor como ela funciona.

Os inimigos e o ambiente

O jogo possui diferentes cenários, cada um com seu bioma específico e todos eles possuem características únicas de vegetação, materiais, vida e o principal motivo do jogo, os grandes monstros. Eu passei horas apenas observando a beleza e a riqueza dos detalhes de cada pedacinho do mapa.

O mundo possui vida própria, o que deixa o jogo ainda mais incrível. Você irá presenciar disputas territoriais entre os monstros ou poderá se surpreender quando o seu inimigo chamar ajuda de outro monstro.

Você vai perder, você vai ser derrotado pelos monstros, você vai ser pego em algum ataque que não esperava. Tudo isso vai acontecer em sua jornada para aprender como lutar com cada monstro. Monster Hunter World é sobre aprender como os monstros atacam e contra-atacar no momento certo, aprender sobre o que te espera, aprender os pontos fracos e particularidades de cada inimigo, aprender a usar o ambiente a seu favor. Entender seu inimigo é a principal mecânica aqui, saber onde, como e quando atacar é necessário para você conseguir aquela vitória triunfal, e esse ciclo vai se repetir a cada novo inimigo.

Muito conteúdo adicional

Além disso, a Capcom trouxe vários novos monstros ao decorrer do ano, além de eventos sazonais e missões semanais. A cada semana você tem 3 ou 4 quests com algumas recompensas bem interessantes como: armaduras do Ryu e da Aloy (de Horizon Zero Dawn), um traje do Mega Man para o seu Amigato e até a peruca do Dante.

Se quiser conferir um pouco mais do que achamos de Monster Hunter World, da uma conferida no nosso review:

Análise: Monster Hunter World é a experiência definitiva da série.

Basta agora ver quem vai ser o verdadeiro ganhador do jogo do ano.