E aqui estamos com mais um post da série “Os Melhores Jogos da Geração“. Desta vez a lista é minha e vocês perceberão a falta de grandes blockbusters, o motivo? Dinheiro. Tenho o costume de só comprar jogos velhos, porque assim consigo comprar cerca de três jogos com o valor de um lançamento.

Me considero um “Trophy Hunter” e tenho orgulho em dizer que sou o brasileiro mais rápido a chegar nos 100% de Scott Pilgrim vs. The World: The Game (pelo menos dos cadastrados no myPSt). Sou bem colecionador, então só compro jogos em mídia física, o que geralmente acaba com o meu escasso dinheiro.

Sou dono de um Playstation 3 há poucos anos e ainda não tive a oportunidade de jogar nenhum jogo das franquias Bioshock, Borderlands, Mass Effect e nem os queridos Red Dead Redemption e Skyrim. Mas podem ter certeza que eles estão no topo da minha lista de desejados.

Na minha lista de gêneros favoritos vocês encontrarão RPGs orientais, hack and slash e jogos de ação e aventura. Minhas franquias favoritas são Final Fantasy, Persona, Kingdom Hearts e Metal Gear. O que me chama a atenção em um jogo é sua história, narrativa e a construção dos personagens, esses fatores acabaram por ser (na maioria das vezes) o critério que usei para escolher os meus jogos favoritos da geração.

Sem mais delongas, eis a minha lista:

[separator type=”thin”]

10 – inFamous 2

Produtora: Sucker Punch / Plataformas: PS3 / Lançamento: 2011

inFamous 2

Um humano com poderes elétricos, em uma cidade livre para explorar e com sistema de karma? Bom, como fã de super heróis, é claro que me interessei pelo game. O primeiro inFamous foi divertido, mas inFamous 2 se superou.

Os gráficos melhoraram muito em relação ao primeiro jogo e o game se tornou mais rápido e dinâmico. A adição de novos poderes deu um charme a mais: Se escolher ser um cara legal e seguir o karma bom, você ganhará poderes de gelo, mas se optar por causar destruição e morte, você ganhará poderes de fogo.

Vale a pena citar que o jogo ganhou uma DLC “stand alone” no estilo Undead Nightmare de Red Dead Redemption. Chamada Festival of Blood, o novo conteúdo adiciona uma história paralela onde vampiros começam a aterrorizar a cidade de New Marais.

[separator type=”thin”]

9 – Assassin’s Creed: Brotherhood

Produtora: Ubisoft / Plataformas: PS3, X360, PC / Lançamento: 2010

Assassin's Creed Brotherhood

Lembro que quando o primeiro Assassin’s Creed foi anunciado eu fiquei super animado, pois o game parecia extremamente promissor. Quando finalmente tive a oportunidade de jogá-lo tive aquela impressão de “Está faltando alguma coisa…”, mas mesmo assim virei fã da franquia.

Depois veio Assassin’s Creed II, que melhorou MUITO o que já havia sido apresentado, mas foi em Brotherhood que a série alcançou seu ápice. Gráficos, jogabilidade, história, tudo foi melhorado.

O multiplayer também foi uma surpresa e adicionou muita vida útil ao game, tornando-o o melhor Assassin’s Creed na minha opinião (levem em consideração que eu ainda não joguei o III nem o IV).

[separator type=”thin”]

8 – God of War III

Produtora: Santa Monica / Plataformas: PS3 / Lançamento: 2010

God of War III

God of War III, a série que todos falam mal porque é basicamente “quadrado, quadrado, triângulo” o tempo todo, mas que todos jogavam no Playstation 2 está sim na minha lista.

Além de gráficos lindos e uma jogabilidade bem simples, God of War III é a conclusão da vingança de Kratos e conta com diversas batalhas sensacionais, logo no início somos apresentados a um Poseidon que praticamente usa o mar como arma!

As texturas do jogo sempre me chamaram a atenção, em especial o couro dos minotauros e a pele de Kratos. A série sempre foi um ótimo Hack and slash e com o terceiro titulo isso não foi diferente, recomendado para todos que gostam do gênero.

[separator type=”thin”]

7 – Batman: Arkham City

Produtora: Rocksteady / Plataformas: PS3, X360, PC, WiiU / Lançamento: 2011

Batman Arkham City

Devo confessar que a série Arkham me pegou completamente de surpresa, quando Arkham Asylum foi anunciado e eu fiquei sabendo a respeito só consegui pensar “Ah, mais um jogo de super-heróis genérico”. Que bom que eu estava enganado.

Finalmente ganhamos um jogo a altura de Batman, com um excelente sistema de combate, ótima história e repleto de Easter Eggs para os fãs das HQs. Mas ai veio Arkham City, com um mapa bem maior que o primeiro e várias missões segundarias. Perfeito.

Arkham City é tão sensacional que te faz ficar com vontade de correr e ler as HQs e ver os filmes do homem-morcego. Acho que nem precisava comentar aqui, mas as atuações de Kevin Conroy como Batman e Mark Hamil como Coringa estão ainda melhores, detalhe para Hamil cantando “Only You” durante os créditos finais.

[separator type=”thin”]

6 – Heavy Rain

Produtora: Quantic Dream / Plataformas: PS3 / Lançamento: 2010

Heavy Rain

Heavy Rain é um daqueles casos de “ame ou odeie” e fez com que vários jogadores se questionassem se ele é realmente um jogo ou um filme interativo.

Eu nunca liguei pra essas “brigas” bobas e como sou um fã de Fahrenheit, que também foi feito por David Cage, Heavy Rain já estava na minha lista de desejados muito antes de comprar um Playstation 3. O jogo é um “point and click” e é isso que fazemos o game todo, escolhemos um objeto no cenário e interagirmos com ele.

Porém, como era de se esperar, a história junto com seus gráficos bem realistas são o grande charme do jogo. Com um total de 4 protagonistas jogáveis e em um clima bem melancólico, temos Ethan que faz de tudo para tentar salvar seu filho que foi sequestrado pelo “Assassino do Origami”, com direito a alguns desafios bem no estilo Jigsaw de ser. Também há a jornalista Madison, o agente do FBI Jayden e o detetive particular Shelby, todos tentando descobrir a identidade do serial killer que aterroriza a cidade.

Com uma trama bem elaborada e revelações surpreendentes, Heavy Rain é um jogo que todos deveriam experimentar.

[separator type=”thin”]

5 – Final Fantasy XIII

Produtora: Square-Enix / Plataformas: PS3, X360 / Lançamento: 2010

Final Fantasy XIII

Como eu disse no começo da postagem: Final Fantasy é minha franquia favorita, então é claro que o belíssimo Final Fantasy XIII estaria na minha lista.

Mesmo o jogo sendo bem linear, eu gosto muito do décimo terceiro título. A cultura, os personagens e o mundo de Final Fantasy XIII são muito bem feitos e cheios de detalhes, porém isso as vezes fica restrito as pessoas que assim como eu perdem horas lendo todas as informações que vão sendo liberadas no Catalog enquanto se avança na história.

Com uma jogabilidade que mistura elementos dos clássicos “Final Fantasy”s do primeiro Playstation e do adorado e odiado Final Fantasy XII, Final Fantasy XIII é um ótimo jogo que não poderia faltar no meu Top 5.

[separator type=”thin”]

4 – Uncharted 3

Produtora: Naughty dog / Plataformas: PS3 / Lançamento: 2011

Uncharted 3

Uncharted é a minha franquia favorita dessa geração, não preciso nem dizer que já estou super ansioso pelo próximo titulo da franquia, certo?

Cheio de clichês de filmes de ação e aventura, a série consegue manter um ritmo bem frenético misturando tiroteios e exploração de cenários. Mas na minha opinião o que deixa a série ainda melhor são aquelas cenas que você assiste e diz: “Aff, até parece!”. Drake pode ter acordado em um trem prestes a cair de uma montanha, mas nada supera sua fuga do avião de garga, aquilo é simplesmente sensacional!

O terceiro título da franquia é o meu favorito porque nele conhecemos mais sobre o passado de Drake e Sully e descobrimos como eles se conheceram. Vale citar também que o multiplayer do jogo melhorou MUITO em relação ao seu antecessor.

Mesmo parecendo “mais do mesmo”, deem uma chance para Uncharted e aproveitem sua boa jogabilidade e divertida história, aposto que não vão se arrepender.

[separator type=”thin”]

3 – The Walking Dead

Produtora: Telltale / Plataformas: PS3, X360, PC / Lançamento: 2012

The Walking Dead

The Walking Dead é um daqueles jogos que muita gente fala mal sem nem mesmo ter jogado. O motivo? Em uma época em que “Call of Duty”s e superproduções com belíssimos gráficos são preferência, ninguém liga pra quele jogo de “point and click” com gráficos estranhos. Tolos.

Baseado na igualmente excelente HQ de mesmo nome, The Walking Dead conseguiu levar o famoso “sistema de escolhas” a outro nível. Aqui não existe certo ou errado e suas ações REALMENTE trazem grandes consequências que mudarão o rumo do jogo.

Sinceramente acho difícil falar sobre o jogo, só mesmo jogando para saber o quão sensacional é o game. E aposto que você se sentirá bem ao ver a pequena Clementine sorrindo pra você… pelo menos até que a próxima desgraça aconteça.

[separator type=”thin”]

2 – The Last of Us

Produtora: Naughty Dog / Plataformas: PS3 / Lançamento: 2013

The Last of Us

Naughty Dog é mesmo uma linda, não bastava ela ter criado uma das minha franquias favoritas dessa geração, ela teve que criar essa maravilha de The Last of Us que pra mim é o melhor jogo de 2013.

O jogo é intenso do começo ao fim e a captura de movimentos e interpretação de Troy Baker e Ashley Johnson é fantástica, sem falar na relação extremamente humana e real que os protagonistas vão criando durante o game. No final da campanha eu me encontrava tão apegado a Ellie que não pensei duas vezes ao puxar o gatilho e matar aquele cirurgião.

Além da ótima história, o jogo tem uma jogabilidade muito boa sem muitas complicações e ainda possui um modo multiplayer divertido, mas que por enquanto peca em não possuir muito o que se fazer.

The Last of Us é praticamente perfeito, jogo obrigatório para qualquer um que possui um PS3.

[separator type=”thin”]

1 – Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots

Produtora: Kojima Productions / Plataformas: PS3 / Lançamento: 2008

Metal Gear Solid 4

A guerra pode ter mudado, mas a fantástica franquia de ação e espionagem tática do mestre Hideo Kojima não. Metal Gear Solid 4 é com certeza o meu jogo favorito dessa geração. Além de possuir lindos gráficos (levando em consideração que é um jogo de 2008) e uma trilha sonora de dar inveja, Guns of the Patriots coloca um ponto final na história dos “Snake”s de uma forma espetacular.

Na minha opinião o jogo possui a melhor jogabilidade da série e por estar cheio de momentos com muita nostalgia QUASE conseguiu se tornar meu jogo favorito. Voltar para Shadow Moses, pilotar o Metal Gear REX, lutar no mano a mano contra Ocelot (luta essa que é cheia de referências aos jogos anteriores) e aquele final que me arrancou lágrimas são meus momentos favoritos.

Acredito que o único defeito do jogo seja ser voltado para os fãs, tornando-o meio cansativo para quem não conhece toda a história da série. Mas o que você está esperando? Corra e comece a jogar a franquia do inicio e não descanse até pegar o titulo “Big Boss” de MGS4!