Destiny 2 foi lançado em setembro do ano passado, gerando sentimentos mistos entre os jogadores. No começo, o jogo aparentava trazer tudo o que as pessoas queriam, como mais conteúdo, formas mais fáceis de conseguir equipamentos e uma história de verdade. Entretanto, conforme o tempo foi passando, o jogo acabou sofrendo de um problema: o conteúdo ficou repetitivo rapidamente, fazendo com que a maioria dos jogadores que estavam fissurados no início acabassem parando de jogar.

A Bungie tentou resolver esse problema com a expansão extremamente decepcionante A Maldição de Osíris, que apresentava uma área minúscula, com apenas um evento público e pouquíssima variedade de coisas para se fazer.

Foi lançada oficialmente no dia 8 de Maio a segunda expansão de Destiny 2, Warmind, que prometia novos tipos de inimigos, uma nova história e uma nova área para explorarmos. E parece que dessa vez a Bungie acertou a mão com seu conteúdo extra.

É a Devorador de Mundos, mas a screen ficou legal

História

Era uma vez um guardião que estava de passagem pelas proximidades de Marte quando, convenientemente, uma outra guardiã chamada Ana Bray está passando por maus bocados e pede sua ajuda. Como basicamente tudo em Destiny…

Nisso, você descobre que a Colmeia está em Marte e que um de seus deuses foi despertado de um longo sono, e é seu dever impedir que isso acabe com toda a esperança da humanidade!

Clichê? Clichê, mas, pelo menos, jogar as missões da história é algo divertido, e não achei desprazeroso terminar a campanha de Warmind com meus três personagens (ao contrário de A Maldição de Osíris, onde até hoje não terminei com dois dos meus três personagens. Maldita Floresta Infinita.)

“Novos inimigos”

Deja Vu, I’ve just been in this place before!

Como disse, Warmind traz alguns conteúdos novos que Destiny 2 precisava urgentemente. Um desses conteúdos é a adição de coletáveis no mundo, além de caixinhas misteriosas (que, de fato, são bem fáceis de abrir e não dão nenhum loot muito especial, mas proporcionam diversão enquanto se busca por elas, e é isso que importa no final).

Também há uma quest exótica, no melhor estilo Destiny 1! Você pega um item que te pede para completar algumas tarefas, que vão ficando mais difíceis conforme você avança, até conseguir por as mãos em uma das exóticas que promete ser uma das mais poderosas de Destiny 2.

Falando em exóticas, com Warmind veio um rebalanceamento nas armas exóticas de Destiny 2, dando alguns merecidos buffs para a maioria. Agora você finalmente sentirá diferença ao usar uma arma exótica e poderá se sentir um pouco mais poderoso, sensação que a maioria dos jogadores reclamava de não ter ao usar tais armas até então.

Warmind adicionou três novos assaltos ao jogo, sendo um deles exclusivo para PlayStation 4. A pegadinha disso está em dois desses assaltos serem apenas a mesma missão que você já jogou na campanha de Warmind, sendo o exclusivo do PS4 o único assalto diferente, ou seja, jogadores de Xbox One e PC terão uma sensação de Déjà-vu na playlist de assalto.

“End-Game”

Warmind traz uma nova raid lair no Leviatham, que, aparentemente, é mais bem trabalhada do que a última Incursão adicionada ao jogo, a infame Devorador de Mundos. Infelizmente, ainda não consegui fazer a nova Incursão, mas assim que terminá-la, atualizarei essa postagem.

Além disso, fora a Incursão que todos já esperavam, a Bungie adicionou um novíssimo modo horda a Destiny 2. Esse modo consiste em enfrentar ondas de inimigos Colmeia e, a cada nova onda de inimigos, mais poderosos eles ficam. No total, são sete ondas de inimigos, e caso você consiga terminar, um baú com itens exclusivos da atividades.

O problema desse modo é você ser incapaz de levar um esquadrão com mais de 3 pessoas para as patrulhas, uma vez que é recomendado algumas pessoas a mais para conseguir matar o último chefe da onda final de inimigos, que, a propósito, muda a cada semana.

Afinal, Warmind resolve os problemas de Destiny 2?

Não. Mas mostra que a Bungie está ouvindo a comunidade e mexendo aos poucos no jogo para agradar tanto os novos jogadores quanto os antigos.

Warmind definitivamente não é uma justificativa forte o suficiente para trazer de volta os jogadores que abandonaram Destiny 2 após ficar em enjoados depois dos primeiros 30 dias de jogo, entretanto, nos traz aquela esperança de que, em setembro, a Bungie traga aquela grande expansão que salve o jogo, assim como aconteceu com o Destiny original e a expansão de Oryx.

Dito isso, Warmind traz conteúdo suficiente para que você, que ainda tem alguns amigos jogando Destiny, consiga se divertir algumas horas por semana junto com eles fazendo todas as atividades presentes no jogo.