A primeira coisa que me veio à cabeça, no momento em que o Xbox One e o PlayStation 4 foram anunciados, foi “como serão os gráficos dos jogos da próxima geração?”. Eu mencionei, no review que fiz do inFamous: Second Son, que os jogos não devem ser enaltecidos apenas pelos seus gráficos. Mas se eles são bonitos, devemos reconhecer essa qualidade.

Se você me acompanha pelo Facebook, já deve ter notado o quanto eu tenho aproveitado o recurso Photo Mode de inFamous: Second Son. A cada capítulo novo, a cada mudança do clima, a cada habilidade nova adquirida, é uma oportunidade para capturar belíssimas screenshots do jogo.

[quote align=right]Photo Mode chega em atualização de inFamous: Second Son[/quote]

Não sei dizer o que é mais legal no Photo Mode: paralisar o jogo a qualquer momento para capturar aquele momento exato em que as partículas de fumaça estão surgindo; rotacionar o ângulo da câmera com o zoom e o foco que eu quiser; ou aplicar filtros coloridos como no Instagram.

O fato é que, independente de estarmos vivenciando o ápice dos gráficos nos videogames, mais jogos deveriam adotar esse recurso.

Jogos de videogame, em sua maioria, são um produto artístico, que foram cuidadosamente pensados para ficar esteticamente bonitos enquanto você os joga, mas nunca chamar mais atenção que o jogo em si. E, infelizmente, muitos detalhes passam despercebidos pelos jogadores.

inFamous: Second Son

De certa forma, o Photo Mode ajudou a despertar essa vontade de admirar o jogo pela sua beleza “natural” (que não é natural, pois foi pensada pelos profissionais que desenvolveram o jogo), e também fez surgir “fotógrafos” que encontram a beleza onde jamais se poderia imaginar.

Claro que o novo recurso Photo Mode também funciona como uma ótima estratégia de marketing da Sucker Punch que, aliado com o botão Share do novo Dualshock 4, tem o potencial de viralizar imagens do jogo em velocidade recorde através das redes sociais. Além de manter o público falando sobre o jogo por mais tempo, estimula o surgimento de potenciais compradores.

[quote align=’right’]inFamous: Second Son impulsiona vendas do PS4[/quote]

Vamos esquecer, por um momento, que os jogos eletrônicos são produzidos com o objetivo de vender milhões de cópias, fidelizar jogadores, se transformarem em franquias anuais e deixar os empresários com a carteira cheias de dinheiro.

Sim, essa é a triste realidade, mas esse artigo não pretende discutir o lado comercial dos jogos.

O que devemos é reconhecer que, ao finalizar um jogo e aparecer a famigerada tela de créditos, muitos daqueles nomes representam verdadeiros artistas que trabalharam duro para transformar ideias e códigos em um produto. Exemplos de jogos que parecem pinturas é o que não falta (mas isso é assunto para outro artigo).

Aperte o play na galeria abaixo, e aprecie a beleza da oitava geração de consoles através do olhar do usuário Endless no Flickr.