Embora todos nós tenhamos acreditado que o headset de realidade virtual da Valve se chamaria “SteamVR”, na realidade não foi bem assim. O hardware na verdade se chamará “Vive” e produzido pela HTC – fabricante taiwanesa de celulares.

O Vive terá capacidade de resolução 1200×1080 com um refresh de 90 quadros por segundo. De acordo com a HTC, essas configurações permitirá “[preencher] sua visão em todas as direções, eliminando o jitter (atraso na entrega dos dados) que é comum em todos os dispositivos VR da atualidade”.

Nessa colaboração da Valve com a HTC, o dispositivo também contará com um “girosensor, acelerômetro, e um sensor a laser de posição”, que virá junto com um aparelho chamado ‘Steam VR base station’ que permitirá controlar o movimento de seu avatar andando fisicamente no ambiente.

O HTC Vive terá o suporte de desenvolvedores de games como a Dovetail Games, mas também do Google, HBO, Lionsgate e outros. A versão do consumidor está disponível ainda nesse ano e muitos outros detalhes serão dados durante a GDC (Game Developer Conference) nos próximos dias.

Agora, além dos Steam Machines, a Valve terceirizou seu óculos de realidade virtual. Tio Gabe deve saber bem o que faz, porque são planos bem incomuns para quem esperava ver produtos próprios da Valve.

Fonte: PC Gamer