Dragon Age, uma das mais famosas franquias da BioWare, está em um momento bastante estranho, assim como o próprio estúdio, que precisa responder às questionáveis decisões da EA. Uma das últimas grandes reviravoltas na história da BioWare foi a saída de seu escritor principal, Mike Laidlaw. Laidlaw estava envolvido diretamente com a produção de um futuro Dragon Age 4, e sua saída deixou muitos fãs da franquia apreensivos. Mas para onde o próximo jogo iria se os planos do antigo escritor houvessem seguido adiante? Essa pergunta e mais outras questões sobre o futuro da BioWare foram respondidas por Mike Laidlaw em pessoa, em entrevista realizada pela US Gamer durante a GDC 2018.

Respondendo sobre quais planos possuía para o futuro da franquia Dragon Age, Laidlaw revelou que, sob sua direção, a ideia era conhecermos mais sobre Solas, o apóstata élfico que desempenhou um grande papel em Dragon Age Inquisition e, principalmente, na DLC Trespasser, que é a grande conclusão daquele arco da história. “Após a DLC Trespasser, obviamente há um caminho a seguir com as revelações de Solas”, diz Laidlaw. “Se você já jogou Trespasser, saberá o que logicamente viria em seguida”.  A ideia de possivelmente seguir o arco de Solas em Dragon Age 4 seria uma novidade para a série, uma vez que os jogos anteriores nunca foram sequências diretas um do outro.

No entanto, apesar dos muitos detalhes em aberto relacionados ao futuro de Dragon Age, Laidlaw sentiu que era a hora de deixar a BioWare para trás. “Eu queria tentar um desafio novo, e eu sabia que [as transferências de pessoal] mudariam as coisas”, diz ele. Laidlaw afirmou que achava que aquele era o melhor momento para sair, pois havia outros dois grandes veteranos que poderiam dar continuidade ao seu trabalho, Patrick Weekes, escritor principal, e Daniel Kading, líder de design. No entanto, ele admite saber que são pequenas as chances de que os planos que ele tinha para o futuro de Dragon Age permaneçam inalterados.

Ainda assim, o escritor tem uma visão otimista e acredita que, aconteça o que acontecer com Dragon Age no futuro, não haveria motivos para preocupação, porque o respeito da BioWare pela série é imenso. “Os líderes criativos precisam estar presentes e orientando tudo, e a equipe precisa fazer tudo pelo que eles estiverem apaixonados”, diz ele. “Eu não tenho medo de que eles mudem o mundo porque há um profundo respeito pelo que já foi feito.

Isso não quer dizer que Laidlaw não esteja curioso sobre um suposto reboot de Dragon Age. “Muito provavelmente eles passaram por uma fase de redesign, isso é muito normal. E eu ouvi sobre o reboot, mas não tenho certeza do que isso significa contextualmente”, diz ele. “Eu acho improvável que seja um reboot do tipo feito com Star Trek. É mais provável que os planos existentes sejam reexaminados à luz da liderança de agora.”

Devido ao foco total da BioWare em seu próximo lançamento, Anthem (que foi adiado para 2019), ainda há chances de um Dragon Age 4 acabar ficando de lado, e Laidlaw afirma que odiaria ver isso acontecer. “Há muitas outras histórias para contar. Não acho que Inquisition tenha sido um jogo perfeito. Acho que foi um jogo que nos ensinou algumas boas lições”, diz ele. “No entanto, eu fico feliz e orgulhoso de ter estado envolvido em todas os Dragon Age lançados até aquele ponto. Acho que seria uma pena deixar esse mundo de lado agora”.

Sobre ver um futuro jogo da saga criado por outras mãos, Laidlaw admite: “não importa quando fique pronto, vai ser estranho. Vai ser muito estranho, porque [Dragon Age] foi uma parte significativa da minha identidade ao longo de uma década. Ainda assim, estou gostando muito do que estou fazendo agora”.

Resta torcer para que o foco da BioWare retorne para a franquia Dragon Age assim que Anthem seja lançado. Você gostaria de ver uma continuação de Dragon Age Inquisition? Quais são suas expectativas para o futuro da franquia?

___

Via US Gamer