Promessas vazias e argumentos sem embasamento de “agilizar o processo” para jogadores que não tem muito tempo disponível, as microtransações em jogos blockbuster tomaram um mercado desenfreado. A visão de “jogos como serviço” cresceu o olho de várias empresas do ramo, deixando os consumidores reféns desse tipo de prática.

O CEO da CD Projekt Red, Adam Kiciński, comentou sobre a presença de elementos online em Cyberpunk, deixando muitos fãs esperando pelo pior: “O componente online é necessário se você quer atingir um sucesso de longo prazo. Em certo ponto, haverá um elemento online em Cyberpunk 2077”, disse Kiciński em uma entrevista ao portal Strefa Inwestorów.

A Projekt Red parecia seguir o bonde de empresas como Electronic Arts e Take Two ao ser especulada de implementar sistemas de compras in-game e loot boxes em Cyberpunk, porém, para a alegria de todos nós, a empresa tomou a frente e desmentiu os rumores sobre seu próximo jogo (em uma resposta no Twitter):

Não se preocupe. Quando pensar em Cyberpunk 2077, lembre de The Witcher 3: enorme singleplayer, mundo aberto e dirigido pela narrativa. Sem pegadinhas, você recebe pelo o que pagou — sem palhaçada, apenas uma jogatina honesta como Wild Hunt. Nós deixamos a ganância para os outros.

Nada menos que sensacional. Sendo uma das poucas empresas que ainda priorizam a experiência do jogador invés de sua carteira, podemos esperar sossegados mais uma obra-prima de quem sabe o que está fazendo.

Entretanto, Cyberpunk 2077 está bem longe de ser lançado e devemos ter notícias sobre o jogo apenas no ano que vem.

Via: VG24/7