Não é difícil encontrar pontos em comum entre filmes e games. Afinal de contas, os dois possuem personagens, trilhas sonoras, enredo, plot twist etc e etc.

Porém, é natural que o cinema tenha influenciado o que jogamos, já que ele é mais antigo e já foi bastante influente na sociedade, sendo considerado uma das indústrias mais rentáveis do mundo. Mas as coisas mudam e, independentemente das tecnologias que o cinema conseguisse se adaptar, os games estavam em primeiro na fila para testar e abraçar (quase) todas as novas tecnologias. Por isso, mais cedo ou mais tarde, os games englobariam a maior parte deste mercado e superariam a indústria cinematográfica.

E se você está lendo isso, quer dizer que você está vivendo uma ótima época para os games. Tivemos tempos difíceis: éramos “nerds”, “viciados”, “sem vida”, “sem amigos” e mais um monte de adjetivos pejorativos. Hoje, quem não assiste um campeonatinho de Counter Strike ou acha que LOL é uma sigla pra quem está rindo, corre sério risco de ficar fora da rodinha de conversa.

Mas a melhor parte disso tudo, dessa época áurea para os jogos, é que finalmente eles começaram a servir de influência. Claro que isso acontecia antes, mas agora está tudo mais claro, mais bem-feito. A “homenagem” está mais escancarada!

Na TV

Para quem tem um mínimo contato com séries, com certeza já ouviu falar de Westworld. E, para quem gosta de games, também certamente já ouviu falar que Lisa Joy Nolan e Jonathan Nolan, produtores executivos da série, usaram o game como inspiração e material de referência para criar a série.

Fora as referências visuais de Red Dead Redemption, outro game presente na série é Bioshock. Primeiro que o estilo Steampunk do jogo já faz bastante referências ao velho oeste e segundo que não é nem um pouco difícil relacionar a famosa frase do jogo “No man or kings. Only Man.” com o mote da série. Isso sem contar com o mundo distópico sendo o tópico central de ambas as tramas.

No Cinema

E claro que não poderíamos deixar de fora um dos filmes mais aguardado do ano: Logan. Logo nos primeiros trailers, quem é freak por games, relacionou muito o roteiro do filme com o aclamado The Last of Us. Um cara meio mau encarado tendo que lidar com uma pré-adolescente enquanto os dois se desenvolvem juntos. Tá tudo ali, só não vê quem não quer!

Quando esse tipo de coisa acontece, fica evidente que os games engataram em uma velocidade que não dá mais pra parar e isso é bom demais! Agora, os nerds, diferentões, excluídos são os que mais vão ter assuntos nas rodinhas de conversa. Chegou a nossa hora de influenciar o mundo.