Convenhamos, independente de qual seja sua franquia favorita de jogos de luta, Street Fighter é a série mais tradicional e a responsável por esse estilo de jogo ser o que é atualmente. Tudo isso começou graças a um jogo lançado em 1988, no qual um lutador tinha que enfrentar diversos oponentes, e que era um jogo péssimo.

E, agora, em 2018, a Capcom decidiu lançar uma edição especial para comemorar o aniversário de 30 anos da série. Essa edição chegou no dia 29 de maio e trouxe nada menos do que 12 títulos jogáveis, desde o primeiro Street Fighter até o aclamado Street Fighter III: Third Strike.

A era de ouro da franquia

É possível jogar o modo arcade de todos os DOZE jogos que estão nessa coletânea, entretanto, vale lembrar que todos os títulos que estão no pacote são as primeiras versões do jogos lançadas nos Estados Unidos. Ou seja, nada de Street Fighter Alpha 3 Max.

Entretanto, a coletânea não apresenta a versão completa de nenhum título, com exceção, talvez, do primeiro Street Fighter, já que não havia nada além do modo arcade nele.

Mas o que eu quero dizer com isso? Assim que você entra no Street Fighter 30th Anniversary, ele lhe apresenta um menu para escolher qual modo de jogo você quer. Assim que selecionar qual título você deseja jogar o modo arcade, ele imediatamente inicia a abertura do jogo escolhido e pula para o menu de seleção de personagem. Então, não espere pegar a coletânea de 30 anos com a esperança de um menu exclusivo para cada um dos doze jogos inclusos.

Outro detalhe que pode ser uma grande decepção para muitos, principalmente para uma boa parcela das pessoas que iniciaram seu interesse em jogos de luta com títulos mais recentes, como Street Fighter IV, Street Fighter V ou o mais recente Dragon Ball FighterZ, é falta de modo de treino para os jogos além dos quatro que possuem modo online. Em outras palavras, se você quer ficar bom em Alpha 2 para tentar entender o motivo dele ser um dos jogos de luta mais amados até hoje, você precisará fazer isso no modo arcade.

Falando em modo de treino, li alguns boatos de que ele foi adicionado em cima da hora graças à grande demanda por parte do público e, graças a isso, ele saiu um tanto quanto problemático. Por exemplo, você programa o dummy para defender e, às vezes, ele não defende, coisa meio besta, mas que não deveria acontecer no modo de treino de nenhum jogo de luta.

Online warriors, rejoice!

Não há tanto a se falar sobre o online de Street Fighter 30th Anniversary, além de que ele só está disponível para quatro dos doze jogos dessa coletânea. São eles Street Fighter II: Hyper Fighting, Super Street Fighter II Turbo, Street Fighter Alpha 3 e Street Fighter III: 3rd Strike.

Em meio a algumas partidas que tive, encontrei batalhas que pareciam ser jogadas com um amigo na mesma sala que eu, enquanto outras eu poderia jurar que meu oponente estava jogando no meio de uma aldeia no norte da Mongólia. Então, aqui vai minha dica para todos vocês que querem jogar jogos de luta online: não usem internet wifi, e sim cabeada, por favor <3

Enfim, um último aviso: você provavelmente vai querer jogar seu controle na televisão ao enfrentar um Vega no Street Fighter II Super Turbo, então já prepara o coração.

Extras

O legal de Street Fighter 30th Anniversary é o fato de trazer arte de basicamente tudo relacionado à franquia Street Fighter. O modo de galeria e de linha do tempo dos 30 anos de Street Fighter mostra artes dos mais diversos jogos da franquia, com direito até a esquecidos jogos de consoles portáteis.

O único “lado ruim” é que eles esquecem todos os crossovers que aconteceram, então nada de X-Men vs Street Fighter ou Street Fighter X Tekken nessa galeria, mas isso já era de se esperar.

Conclusão

Street Fighter 30th Anniversary é uma coleção que eu recomendo para todas as pessoas que tem curiosidade de jogar alguns Street Fighter’s clássicos e não tem outra opção de console para fazer isso. Entretanto, nenhum jogo contido nessa coleção pode ser chamado de “edição definitiva”. Digo isso pois até mesmo o Street Fighter III: Third Strike Online, que ainda está a venda nas lojas digitais da PlayStation e Xbox, são versões mais completas do que a presente nessa edição comemorativa de 30 anos.

Dito isso, ainda é possível aproveitar seu tempo matando a saudade de jogos clássicos daquela época em que íamos a arcades jogar com alguns amigos, ou simplesmente para você que nunca jogou um Street Fighter clássico.

Análise: Street Fighter 30th Anniversary
7Valor Total
Votação do Leitor 2 Votos
8.6