Middle-earth: Shadow of Mordor traz um combate divertido, história interessante e gráficos lindos, tornando-o um dos destaques de 2014.

Desenvolvido pela Monolith Productions e distribuído pela Warner Bros. Interactive Entertainment, Middle-earth: Shadow of Mordor é um jogo de Ação com elementos de RPG e mundo aberto, lançado dia 30 de Setembro de 2014 para PlayStation 4, Xbox One e PC. Ele será lançado para PlayStation 3 e Xbox 360 dia 18 de Novembro de 2014.

O jogo foi anunciado oficialmente em Novembro de 2013 e desde então vem se falando do game, principalmente por conta de “Sistema de Nemesis“, que infelizmente não estará tão presente na versão do jogo para a geração passada.

Middle-earth: Shadow of Mordor não criou tanta expectativa até o seu lançamento, quando fomos surpreendidos por uma maré de notas positivas, a ponto de o considerarmos a maior surpresa do ano, trazendo um Metacritic de 85/100, e uma média de 8.2/10 entre o público.

História

O enredo de Middle-earth: Shadow of Mordor se passa entre os acontecimentos de “O Hobbit” e de “O Senhor dos Anéis”. Você é Talion, um capitão ranger que estava guardando o Black Gate, quando se depara com uma invasão de Uruks de Sauron e seus Black Captains.

Apesar de fazer o possível para defender sua família, Talion, sua esposa e seu filho acabam mortos pelos 3 Capitães Negros de Sauron: O Martelo de Sauron, O Torre de Sauron e Mão Negra de Sauron. Eles são mortos em um ritual para invocar o fantasma de um elfo (sem spoilers, né), porém esse fantasma acaba se fundindo com Talion, impedindo que ele morresse.

A partir dessa introdução, Talion se vê obrigado a explorar o mundo de Mordor para se vingar do Mão Negra de Sauron pela morte de sua família, e para tentar descobrir quem o fantasma élfico que o acompanha.

[quote align=’right’]O melhor de tudo é que você não precisa conhecer o universo gigantesco criado por Tolkien para curtir o jogo.[/quote]

A história do jogo faz diversas referências a personagens do universo de “O Senhor dos Anéis”, como Gollum e Celebrimbor, que estão presentes no game, e Saruman, que é mencionado em certas ocasiões. Todos colocados na história sob a meticulosa supervisão de Peter Jackson, diretor da trilogia “O Senhor dos Anéis” e de “O Hobbit” nos cinemas.

O melhor de tudo isso é que você não precisa ter muita noção do universo gigantesco criado por Tolkien para curtir o jogo. Eu, por exemplo, só vi o “Sociedade do Anel”, mas consigo entender perfeitamente os acontecimentos da história. Isso permite que tanto os fãs da série quanto leigos entendam e mergulhem de cabeça na história de Shadow of Mordor.

Shadow of Mordor Screenshot (3)

Gameplay

Como disse, nosso personagem se chama Talion, mas ele poderia se chamar Bruce Wayne Auditore da Firenze da Terra Média, pois em momento algum tentam esconder suas influências na série Arkham do Batman e na franquia Assassin’s Creed, absorvendo gameplay de ambos.

Podemos escalar praticamente qualquer estrutura, andar, atirar flecha, montar Caragors, usar zipline, descer por um “escorregador”, agarrar e matar orcs. Principalmente matar orcs.

Árvore de Habilidades

Árvore de Habilidades

O jogo parece ser focado em maneiras de se matar os Uruks, pois podemos matá-los de forma stealth, caindo em cima deles, ou joga-lo da beirada, enfiando uma adaga nele de forma brutal, etc… Caso você prefira ser um pouco mais barulhento, é possível fazer uso do seu combate no melhor estilo “Freeflow“, assim como na série Arkham, em que você soma combo para cada hit, contra ataca apertando um botão, e alcançando um determinado número de combo poderá usar uma habilidade para matar um Uruk, ou dar dano em área, entre outras maneiras…

Entretanto, o sistema de parkour é impreciso em certas horas, como em momentos que Talion fica preso enquanto escala uma parede, ou quando sobe uma mesa e não consegue descer. São algumas coisas meio babacas, mas irritam com o tempo.

Talion tem uma árvore de habilidades dividida em habilidades Ranger, focada em seu combate geral, ou Wraith, que é focado em aumentar as habilidade do fantasma élfico que o acompanha. Para complementar o sistema de customização do combate temos as runas, e cada uma traz um efeito diferente, como recuperar vida após matar um Uruk em stealth, não ser afetado por Poison, ou 50% mais tempo de Focus (slow motion quando se está mirando com o arco). Cada arma tem slots para runas e, conforme os upgrades são realizados, esses slots aumentam, chegando a ter até 5 em cada arma (Espada, Arco e Adaga).

Nemesis System

O Nemesis System é um dos principais motivos por Shadow of Mordor ter se tornado um jogo tão falado desde o seu lançamento. Graças a ele cada Uruk tem uma personalidade diferente e reagirá de acordo com a situação que você está. Por exemplo, um Uruk que já o derrotou age como se estivesse espantado por ver você vivo novamente, ou um Uruk que tenha lhe enfrentado reagirá provocando-lhe e dizendo que dessa vez você não escapará.

As duas regiões de Shadow of Mordor trazem 20 capitães e 5 warchiefs em cada uma, e eles são uma espécie de chefe, que tem suas Forças e Fraquezas e cada um precisa de uma estratégia para serem derrotados.

O legal disso é que os capitães estão em qualquer lugar do mapa, então você pode estar simplesmente andando observando a paisagem e dar de cara com um, ou enfrentando uma horda de Uruks em um Stronghold e aparecer um capitão para tornar a batalha um pouco mais animada… Ou dois capitães… Ou três… Ou quatro (sério, isso acontece, e quando acontece não costuma ser bom.)

Shadow of Mordor Screenshot (4)

O Torre de Sauron

Outro detalhe importante são os cargos e o poder de cada Uruk. Por exemplo, há Uruks que não são capitães, mas caso ele consiga o derrotar, ele será promovido automaticamente para o cargo, aumentando seu Poder (Status que mostra o quão forte é o Capitão) e ganhando suas Forças e Fraquezas.

Vale lembrar que Uruks se odeiam e gostam de aparecer para seus outros companheiros, então há diversos eventos que acontecem em Mordor, onde há capitães tentando recrutar mais pessoas para seu exército, enfrentando ou tentando emboscar outro capitão, ou simplesmente enfrentando animais selvagens. Então caso o capitão consiga completar o evento, ele irá aumentar seu Poder, e caso estejamos falando de uma emboscada ou duelo, o perdedor acabará pagando com a vida.

Também há a opção de dominarmos o capitão, tornando-o um aliado. Isso não serve pra nada. Mentira, serve sim. Dominá-lo permite que você o ajude nesses eventos, como apoia-lo em algum duelo ou evitar que ele sofra uma emboscada, tornando-o mais forte. A função disso é tornar algumas lutas mais fáceis, por exemplo, caso você queira enfrentar algum outro capitão, pode-se ordenar que seu capitão aliado o desafie e no meio da briga você aparece. Outro bom uso dessa habilidade é para dominar os seguranças de um Warchief, para quando for enfrenta-lo ter um apoio extra.

Aspectos Técnicos

Shadow of Mordor conta com um dos gráficos mais impressionantes que vi desde o início da nova geração. Não é a toa que o jogo recebeu o famoso ‘Photo Mode‘ após seu lançamento.

A Mordor de Shadow of Mordor se passa antes dela se tornar aquele lugar sombrio que foi possível ver nos filmes do Senhor dos Anéis, justamente pelo fato do game se passar um bom tempo antes dos acontecimentos do filme, e por isso Mordor é cheia de vida, com árvores, grama, flores e cogumelos.

As texturas do jogo são incríveis, assim como sua iluminação. Com certeza você vai se pegar observando o cenário durante o dia para ver os raios do Sol refletindo nas poças de água do chão ou nas árvores. Mas um detalhe me impressionou mais do que todos esses: Quando está chovendo e você se aproxima de uma parede, da para ver a água escorrendo por entre as pedras e tijolos… A atenção que foi dada a esses pequenos detalhes é lindo.

Já quanto ao áudio de Shadow of Mordor, temos uma excelente dublagem dos personagens, trazendo vozes conhecidas para cada personagem, como Dihael, filho de Talion, que é dublado por Wendel Bezerra (Oi, eu sou o Goku). Já em inglês o jogo tem a dupla de ouro da indústria: Troy Baker (The Last of Us, Bioshock Infinite, InFamous: Second Son) e Nolan North (Série Uncharted, Série Assassin’s Creed, Batman Arkham City) como Talion e Mão Negra of Sauron, respectivamente.

O game é muito bem localizado, trazendo até gírias brasileiras para a Terra-média. Além disso, cada Orc tem um tipo de fala, por exemplo: Há aquele Uruk burro que não sabe conjugar verbo, ou aquele que gosta de falar bastante, outro que gosta de te provocar, e por ai vai…

A trilha sonora é composta por músicas épicas, orquestradas, que dão um tom de fantasia que essa aventura merece. Todas são extremamente imersivas e dão aquele toque a mais nos combates e nas aventuras que temos que enfrentar em Mordor. Caso você seja fã da franquia, provavelmente irá reconhecer algumas de algum filme.

Shadow of Mordor Screenshot (7)

Conclusão

Middle-earth: Shadow of Mordor se apoiou no ombro de gigantes, como Assassin’s Creed e Batman, e criou uma nova fórmula para os jogos de aventura em mundo aberto. O game é muito bem retratado e conta uma história acessível tanto para os fãs quanto para quem é um iniciante nesse universo gigantes que é a Terra-Média criada por Tolkien. Além disso conta com um dos visuais mais incríveis da nova geração de consoles e graças a soma de todos esses fatores, Shadow of Mordor é um dos principais jogos lançados em 2014 até o momento.

Site---Review-Wide-(1140-px)

[one_half]

  • Excelente Combate
  • Dublagem Maestral
  • Nemesis System

[/one_half]

[one_half_last]

  • Batalha Final Decepcionante

[/one_half_last]