Análise – Masters of Anima

Cada vez mais estamos vendo as barreiras de gêneros dos jogos sendo quebradas e permitindo combinações não convencionais que geram um resultado final agradável e inovador. Masters of Anima, desenvolvido por Passtech Games e publicado pela Focus Home é uma mistura de estratégia em tempo real com um RPG de ação que consegue explorar bons elementos dos dois estilos, construindo um jogo igualmente divertido e desafiador. Se você já jogou Overlord ou Pikmin, com certeza irá reconhecer alguns dos elementos principais de Masters of Anima.

Um pequeno exército para controlar

Você controla o personagem Otto, um jovem Invocador aprendiz que teve sua noiva Anna aprisionada pelo feiticeiro malígno Zahr. Otto terá que resgatar três aspectos de Anna que foram divididos e espalhados pelo mundo, para então poder derrotar Zahr. Otto terá que manipular a energia que flui pelo mundo, chamada de Anima e, através dela, invocar pequenos Golems para auxiliá-lo durante sua jornada pra recuperar a Mente, Coração e Corpo de Anna.

Primeiramente você terá apenas um tipo de Golem disponível, uma versão básica de unidade corpo-a-corpo com espada e escudo, mas com o decorrer das missões você irá ganhar golems, com funções e habilidades diferentes e assim, o elemento de estratégia nos combate se aprofunda cada vez mais. É tudo uma questão de sincronia e organização: você comanda cada unidade individualmente ou em grupo para atacar, recuar ou mover-se. A mecânica básica de cada batalha é a mesma, mande os golems atacarem o inimigo e retire-os da frente quando o inimigo desferir um ataque poderoso (geralmente indicado no chão). Você irá perder várias unidades em cada combate, mas não se preocupe, é só apertar um botão e gastar um pouco da sua energia (Anima) para invocar um pequeno exército novamente.

Há bastante Anima espalhado pelos cenários, em objetos quebráveis como vasos e arbustos e nos inimigos que você derrotar. Assim, você só estará enrascado se estiver no meio de uma batalha onde todos os seus constructos morreram e não há mais nada disponível ao seu redor.

Além dos combates o jogo baseia-se em puzzles que exploram a função de cada um dos Golems. Esses puzzles também crescem em complexidade com o decorrer da história, mas difícilmente serão impeditivos do seu avanço.

Ao final de cada missão você é recompensado com experiência e ao subir de nível, irá desbloquear habilidades que podem melhorar Otto e cada tipo de criatura que você possui. Cada guardião tem sua árvore de habilidades própria, então você precisa pensar onde investir cada ponto para melhor aproveitar seu exército.

Resumo

Masters of Anima mostra como uma mistura de dois gêneros bem diferentes consegue dar certo. Os combates requerem atenção e dedicação, desta forma não adianta sair batendo nos inimigos de qualquer jeito, pois o dano que Otto causa é insignificante. Mas uma vez que você entender como os inimigos funcionam, pois a variedade é baixa, irá tirar qualquer luta de letra. O jogo possui um estilo de arte simples, com cenários e personagens bem fantasiosos; a cor é outro elemento que auxilia o jogador durante sua jornada: tudo o que é vermelho pode causar dano ou representa o inimigo, já os tons de verde e azul representam ítens do cenário, coletáveis ou objetos que você pode interagir.

A baixa variedade de inimigos pode até passar despercebida, pois você vai estar tão concentrado em comandar seu exército para derrotar os inimigos e conseguir uma nota alta, que não irá reparar que estará quase sempre enfrentando a mesma coisa, onde a principal diferença é o número de inimigos na tela.

Masters of Anima está disponível para PC, PS4, Xbox One e Switch e foi lançado no dia 10 de Abril de 2018.

Análise: Masters of Anima é uma combinação inusitada de estilos
Combate requer estratégiaMistura de estilos proporciona um gameplay inovador e divertido
Pouca variedade de inimigos
8Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos
0.0