Análise – Digimon World Next Order

As aventuras dos monstros digitais chegam a mais um capítulo no PS4, dessa vez com mais um jogo da série Digmon World. O primeiro Digimon World foi lançado originalmente em 1999 para PlayStation 1 e consistia em você cuidar e desenvolver seu companheiro, explorar o Mundo Digital e recrutar novos habitantes para a cidade.

Lembro-me de passar diversas horas treinando para conseguir um MetalGreymon, mas sempre acabava com um Numemon ou um Sukamon.

Apesar de Digimon World 2 ser bem diferente do restante da série, os outros jogos seguiram a fórmula básica proposta pelo primeiro jogo. Next Order é o sexto capítulo da série e foi lançado originalmente para PS Vita no Japão, em 2016. O jogo foi trazido para o ocidente em uma versão de PS4 no final de janeiro de 2017.

Um é pouco, dois é bom…

A grande novidade em Digimon World Next Order é que o treinador possui uma habilidade especial e pode controlar dois Digimons de uma vez. Isso significa que você terá praticamente o dobro do trabalho para treinar, alimentar e levá-los ao banheiro — geralmente, as coisas acontecem em sincronia no jogo, o que facilita muito. A recompensa para tudo isso é que é possível ver o dobro de digivoluções e ter o dobro de Digimons dos jogos convencionais, tornando o jogo mais divertido e dinâmico.

Digimon World Next Order 1

No começo do jogo, você poderá explorar as áreas mais próximas à cidade, enfrentar alguns monstrinhos básicos e até recrutar alguns poucos companheiros para a cidade sem muita dificuldade. Mas é só avançar um pouco, que é possível ver como os Digimons de outras áreas são bem mais fortes. Por isso, você terá que voltar para a cidade e investir algumas horas treinando e tentando Digivoluir seus companheiros.

Salvando o mundo e desenvolvendo a cidade

A história gira em torno do treinador, que é trazido para o mundo digital; sua primeira batalha é contra Machinedramon (o vilão principal do primeiro Digimon World), que representa uma grande ameaça. Logo em seguida, o treinador acorda no pequeno vilarejo de Floatia, acolhido por Jijimon. Aqui, as semelhanças com Digimon World de PS1 e a nostalgia começa a bater forte. O pequeno Digimon barbudo explica que quer ajudar o treinador a voltar ao mundo real, mas para isso, a ameaça de Machinedramon precisa ser contida e o vilarejo de Floatia, restaurado.

A progressão da história se dá com o nível de prosperidade da cidade, que é determinado pelo número de Digimons espalhados pelo mapa que você já recrutou. São diversos tipos de missões paralelas, que variam entre buscar itens específicos, encontrar outros Digimons ou encarar uma batalha (que pode ser bem difícil). Ao atingir um certo número habitantes na cidade, você será chamado de volta por Jijimon e então a história progredirá.

Comer, Treinar e Dormir

A partir do final do capítulo 1, a dificuldade do jogo aumenta de forma que você só consegue progredir se os seus Digimons estiverem em estados mais avançados de evolução. Diferente dos Pokémons, os Digimons possuem um ciclo de vida bem definido: após uma certa quantidade de dias ele falecerá, fazendo com que você escolha um novo ovo, para, assim, desenvolver outro companheiro. O grande problema disso é que, para atingir alguma forma que permita você avançar na história, você terá que investir algumas horas na mesma rotina: Comer, Treinar, Ir ao Banheiro (para que ele não vire um Sukamon) e Dormir. Lá pela sétima ou oitava geração de monstrinhos, esse tipo de grinding pode se tornar maçante e cansativo.

Chega a ser frustrante você perder um Digimon Mega extremamente forte e ter que começar novamente, mas a curiosidade me fazia sempre querer um companheiro diferente.

Digimon World Next Order 2

No começo, não é possível saber quais são as evoluções e requisitos necessários de seu Digimon. Apenas com algumas atitudes especiais, como agradar ou dar bronca no seus companheiros em situações específicas, revelam um ou dois requerimentos de evolução. Assim, o jogo se torna um grande mistério no começo, deixando cada evolução ainda mais divertida, pois você não sabe o que esperar pela frente. Existem diversas algumas planilhas que podem ser encontradas com uma simples busca no Google mostrando os requerimentos para todos os Digimons, mas eu recomendo você não buscar esse tipo de ajuda até a metade do jogo. 

Evoluindo o Treinador

As batalhas são ativas e, assim como nos outros jogos da série, você tem pouco controle sobre seu Digimon. A maioria dos confrontos acontecerá de forma automática, exigindo apenas que você realize um comando de ataque ou defesa, ou guarda poder para usar a habilidade especial. Ah, por sinal, o Digimon pode ou não te obedecer, tudo vai depender da disciplina dele!

Há uma árvore de progressão do treinador, na qual você poderá melhorar suas habilidades e o desenvolvimento do seu Digimon com Skill Points, que são conquistados a cada nível. As melhorias podem ser aplicadas nos treinos, fazendo os atributos de seus companheiros se desenvolverem mais rápido, durante as batalhas com novos comandos e habilidades, aumentando a felicidade e ligação com os Digimons ou simplesmente aumentando o número de itens que você pode carregar (o que, pra mim, é um problema em todo jogo, como bom acumulador que sou).

Fuuuuuuu…são!

Outra grande novidade em Next Order é a chamada Extra Cross Evolution, onde os dois Digimons se fundem, formando o chamado Ultra Digimon. Logo no começo do jogo, você verá a combinação de WarGreymon e MetalGaururumon, formando o chamado Omegamon. Um possível problema da “ExE” é que nem todos os Digimons são compatíveis para a combinação e também as formas resultantes são poucas.

Digimon World Next Order 3

Conclusão

Digimon World Next Order é uma dose pura de nostalgia, caso tenha apreciado o primeiro jogo da série, lá no PS1. Para os novatos, o jogo pode parecer um pouco complicado no começo, mas após algumas horas de jogo, tudo ficará mais claro. O jogo requer um constante grinding, deixando sua curva de dificuldade bem íngreme, mas a diversão e satisfação de ganhar as batalhas compensam as longas horas investidas evoluindo seu Digimon. Há uma grande variedade de monstrinhos para evoluir, encontrar e batalhar. Com tudo isso em consideração, o jogo pode se estender a até mais de 60 horas.

Essa análise foi realizada com uma cópia digital do jogo enviada pela Bandai Namco

Análise: Digimon World Next Order é uma mistura de nostalgia, complexidade e diversão
Grande variedade de DigimonsControlar 2 parceirosNostalgia pura para os fãs da série
Treinar os Digimons pode tornar-se repetitivo e cansativoProgressão da história lenta
7.5Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos
0.0