O universo dos jogos independentes (ou indies) tem aumentado cada vez mais e, graças ao Steam Greenlight, nós players podemos ter acesso aos mais diversos tipos de jogos possíveis. Quando nos distanciamos um pouco das grandes companhias, podemos nos surpreender bastante ao ver o que uma equipe pequena é capaz de fazer. Listei alguns jogos que merecem alguns minutos (ou várias horas) do seu tempo:

Aquaria

Aquaria

Aquaria foi originalmente lançado no final de 2007, pela Bit-Blot Games. A empresa é composta por duas pessoas: Alec Holowka, programador e compositor e Derek Yu, ilustrador e Web Developer. O jogo conta a história de Naija, uma criatura que vive em um mundo submerso repleto de criaturas e biomas diferentes a serem explorados. Uma mistura de adventure com alguns elementos de RPG que além de uma bela arte, conta com uma trilha sonora espetacular e uma história diferente e interessante.

Awesomenauts

ss_91a905ac58142212329cfdd1fef201e6a33a31c4.1920x1080

Em agosto de 2012 a Ronimo Games, responsável pelo indie Swords and Soldiers, lançou Awesomenauts. Este jogo é basicamente um MOBA 2D pois não possui modo de história, somente Multiplayer (Local e Online). Com a missão de destruir a base inimiga, dois times de três heróis cada trazem uma rapidez às batalhas, não deixando o jogo cansativo e massante. Os sprites e os cenários também trazem uma beleza excepcional a esse jogo.

Bastion

ss_f9e16007834d0e06fe46358e1481b733ec226cca.1920x1080

Apesar de ter sido publicado pela Warner Bros Interactive Entertainment, Bastion foi produzido pela Supergiant Games, em 2010 e desenvolvido por sete pessoas. O jogo conta a história de um garoto que vive o chamado “Calamity” que divide o mundo em várias ilhas flutuantes. Durante o jogo você viaja por maravilhosos cenários e enfrenta monstros muito bem desenhados para reconstruir parte do que foi destruído, tudo isso acompanhado de uma belíssima narração.

 Hotline Miami

ss_75386edf15a48d844dc28ffdc61eb5c458d68533.1920x1080

Hotline Miami foi lançado em 2012 pela Dennanton Games, um estúdio Sueco formado por duas pessoas. O jogo é simples e rápido, porém viciante. Violência gratuita combinado com uma ótima trilha sonora e uma dificuldade grande, pois você morre facilmente, fazem você perder algumas horas nesta obra prima. Agora basta esperarmos por Hotline Miami 2: Wrong Number, que foi prometido para a segunda metade deste ano.

Monaco: What’s Yours Is Mine

ss_333a0b3b78041a533e592457d9e1f7882d5a7ae9.1920x1080

Lembram do clássico de Master System Bonanza Brothers? Pois é, Monaco, feito pela Pocket Watch Games, pode ser considerado seu sucessor. Os gráficos do jogo são extremamente simples, porém de uma elegância e um “feeling vintage” único, o jogo de cores, proporcionado por cada personagem adiciona ainda mais beleza ao jogo. A trilha sonora é toda feita a base de um piano que se adapta conforme a situação do jogo muda, por exemplo: se você estiver sendo perseguido, a trilha se torna agitada e intensa, durante as partes em que você está escondido, a trilha é calma e baixa. Cada personagem possui uma personalidade e habilidades únicas, dando o dinamismo necessário para um multiplayer muito divertido.

Papers, Please

ss_4b50458fbc4afe2917803b59a35afb3e5d61c960.1920x1080

O que acontece quando um estúdio desenvolvedor pensa fora da caixa? A resposta é Papers, Please. Desenvolvido por um único usuário chamado Lucas Pope (não é um alter-ego do Lucas Popenke) e lançado em agosto de 2013 o jogo te coloca na rotina de um funcionário da imigração de um país chamado Arstotzka. No início, você apenas deve verificar alguns dados básicos do passaporte, mas com o passar dos dias, as regras para aceitar imigrantes no país mudam, podendo pedir autorizações ou vistos especiais; alguns imigrantes são diplomatas, alguns são espiões e até mesmo terroristas e cada erro é cruelmente descontado de seu salário, que é usado para pagar suas contas como moradia, alimentação e aquecimento. Após algumas horas de jogo, você estará imerso nos mais diversos documentos, conspirações e burocracia.

Terraria

ss_579fc8cc705203a86fb4fde7257d7f549a7c2136.1920x1080

Terraria pode ser considerado um parente distante do Minecraft, pois trata-se de um sandbox no qual é possível construir e desconstruir seu mundo. Através de ferramentas o jogador pode minerar para encontrar metais e outros tesouros, porém existem perigos espalhados pelos diversos ambientes encontrados no mundo. Quase dois anos após seu lançamento o produtor resolveu encerrar a inserção de conteúdo novo, deixando Terraria abandonado, porém o jogo foi praticamente refeito com o lançamento do seu maior patch, deixando o jogo na versão 1.2. Recentemente lançado para consoles e mobile, mantém uma grande popularidade entre os gamers. Ps: Cuidado ao criar um personagem “Hardcore